Em actualização

Faro e Beja com abastecimento a 20% nos postos de emergência

Os postos da REPA-Rede Estratégica de Postos de Abastecimento localizados nos distritos de Beja e Faro são os mais afectados pela greve dos motoristas de matérias perigosas, com níveis ligeiramente acima dos 20% tanto no gasóleo como na gasolina.

Foto
LUSA/LUÍS FORRA

O total dos 316 postos desta rede, monitorizados pela ENSE, apresenta níveis médios em termos nacionais de 44,95% no gasóleo e de 35,65% na gasolina, tendo estabilizado, esta manhã, os stocks nos níveis apresentados às 20h do dia 12, o primeiro dia da paralisação e pouco tempo depois de o Governo ter decretado a requisição civil cirúrgica, com foco no Algarve.

No entanto, apesar desta estabilização em termos médios, há evoluções diferentes nas últimas 12 horas, não só em termos de distritos, mas também relativamente ao tipo de combustíveis.

Os casos de maior escassez de combustível foram identificados em Beja e Faro. No distrito alentejano, o gasóleo nos 11 postos integrados na REPA estava às 8h desta terça-feira a 21,21% da sua capacidade máxima, enquanto a gasolina se encontrava nos 27,93%, valores que representam uma ligeira melhoria face às 20h de segunda-feira.

Já em Faro, os 22 postos integrados na rede de emergência estava nos 21,6% (gasóleo) e 20,6% (gasolina), níveis praticamente inalterados face ao verificado 12 horas antes. A região do Algarve foi citada pelo Governo na requisição civil decretada no primeiro dia da greve dos motoristas de matérias perigosas como a mais afectada pelo incumprimento dos serviços mínimos identificado pelo executivo.

Outros dos casos onde se nota mais as falhas de fornecimento da rede criada para disponibilizar combustível aos veículos prioritários (e aos consumidores comuns, com limitações) são os distritos de Bragança (quatro postos) e Santarém (25 postos), em particular na gasolina, onde os níveis estão ligeiramente abaixo dos 30%. Em ambos, o gasóleo está com valores mais robustos, de 59,85% em Bragança (o mais elevado a nível nacional) e de 44,3% em Santarém.

Santarém reveste-se de importância adicional dada a época de colheitas em algumas explorações agrícolas, com particular destaque para a apanha do tomate, cujos responsáveis têm vindo a alertar para os riscos que esta greve coloca para a sua actividade, dada a importância da actual época na cadeia de produção deste sector.

A ENSE-Entidade Nacional para o Sector Energético revela ainda, no comunicado disponibilizado esta manhã, que existem três outros distritos com gasolina abaixo de um terço da capacidade: Lisboa, que tem 32,8% do total na gasolina nos seus 51 postos da REPA (e 40,93% de gasóleo); Portalegre, com 31,59% nos seis postos da rede (e 45,75% de gasóleo); e Setúbal, com 31,6% nos 28 postos disponíveis (e 42,84% de gasóleo).

No caso de Lisboa, os níveis estão relativamente estabilizados nas últimas 12 horas, ao passo que, no Porto, os 39 postos de abastecimento da rede apresentam valores de 40,71% na gasolina e de 55,20% no gasóleo, níveis semelhantes aos verificados às 20h de segunda-feira. A degradação mais acentuada durante este período verificou-se em Aveiro, tendo o abastecimento de gasóleo caído de 82,77% para 54,65% nos 21 postos deste distrito, ao passo que a gasolina recuou de 47,4% para 42,1%.

A entidade liderada por Filipe Meirinho não discrimina, na informação divulgada, qual a situação específica do abastecimento dos 54 postos exclusivos, destinados apenas aos veículos prioritários como as ambulâncias, carros de bombeiros, forças de segurança, entre outros.

PÚBLICO -
Aumentar