Opinião

As leituras para férias de Mariana Mortágua

Não deixa de ser significativo que nem nas férias Mariana Mortágua abdique da sua missão transformadora do mundo ou se atreva a ler qualquer obra que ultrapasse as estritas fronteiras das suas crenças pessoais, dos seus interesses políticos ou da confirmação da sua mundividência.

Como certamente saberão os leitores deste jornal, o PÚBLICO tem vindo a convidar algumas personalidades a apresentar sugestões de livros para férias. Na quarta-feira coube a vez a Mariana Mortágua. Segundo o artigo publicado no suplemento P2, a deputada do Bloco “levará quatro livros para os dias de descanso no Verão: A Transparência do Tempo, de Leonardo Padura; Trotsky, o Profeta Desarmado, de Isaac Deutscher; The Bankers New Clothes — What’s wrong with banking and what to do about it, de Anat Admati e Martin Hellwig; e Criminal Capital — How the finance industry facilitates crime, de Stephen Platt.