Bebés sem registo de nascimento: Estado obriga imigrantes a levar tradutor

Filhas de nepaleses, duas crianças nasceram no hospital de Beja, mas serviços recusaram registá-las, porque os pais não falam português fluentemente. Acontece o mesmo nas conservatórias de todo o país. Lei obriga imigrantes a assegurar intérpretes. Enquanto isso, bebés não podem usar Serviço Nacional de Saúde, nem ter direito a abono. Instituto dos Registos e Notariado diz que já sinalizou “necessidade de assegurar a tradução” nestes serviços.

Foto
Miguel Manso

Fanny nasceu a 14 de Julho de 2019 e até sexta-feira de manhã não estava registada. Syma nasceu a 15 de Julho e aconteceu o mesmo. São duas bebés (nomes fictícios) filhas de nepaleses a quem foi recusado o registo de nascimento pelos serviços da conservatória, porque os pais não falam fluentemente português.