O 8chan está em baixo, mas o ódio já procura um novo espaço

Site onde pelo menos três terroristas supremacistas brancos deixaram manifestos anti-imigração procura um novo serviço de protecção contra ataques informáticos. O seu criador distancia-se: “Não está a fazer bem ao mundo.”

Fotogaleria
Reacção ao ataque em El Paso Jose Luis Gonzalez/REUTERS
,Ciudad Juárez
Fotogaleria
Vigília pelas vítimas em El Paso LARRY W. SMITH/EPA

Frederick Brennan tinha começado a descer do ponto mais alto de uma trip de cogumelos mágicos, em Outubro de 2013, quando viu a sua missão de vida passar-lhe à frente dos olhos: aos 19 anos de idade, a maior parte deles passados numa cadeira de rodas para evitar que os seus ossos se partissem como vidro, iria criar o site menos supervisionado de toda a Internet. Chamou-lhe 8chan — um 8 para ser lido deitado, como o símbolo do infinito.