Torne-se perito

Turquia começa a receber sistema antimísseis russo, num desafio à NATO

O Governo do Presidente Recep Erdogan considerou que este sistema é estratégico para a defesa do país, sobretudo para a fronteira sul, com a Síria e o Iraque.

Foto
Os primeiros componentes chegaram nesta sexta-feira a uma base aérea perto de Ankara EPA

A Rússia começou nesta sexta-feira a entregar à Turquia um sofisticado sistema de defesa antimísseis, apesar das advertências de que é incompatível com a defesa da NATO, organização a que o país pertence. A instalação deste sistema pode levar os Estados Unidos a aplicar sanções aos turcos, abrindo uma ferida na aliança militar ocidental.

As primeiras partes do sistema de defesa aéreo S-400 chegaram a uma base militar próxima de Ankara, a capital turca, anunciou o Ministério da Defesa.

Os Estados Unidos — e o secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg — advertiram que o sistema russo não é compatível com os sistemas da NATO e que a compra podia levar à expulsão da Turquia do programa de caças F-35.

“Os componentes vão continuar a chegar nos próximos dias. Assim que [o sistema] estiver completo, começará a ser usado de acordo com as determinações das autoridades relevantes”, afirmou um responsável da Indústria de Defesa da Turquia.

Uma fonte militar citada pela agência russa TASS disse que uma segunda entrega vai ser feita em breve por avião (como a desta sexta-feira) e que a terceira — 120 mísseis teleguiados — será feita por barco, no Verão.

Vinte militares turcos foram treinados na Rússia entre Maio e Junho e outros 80 vão receber formação para operar o sistema, disse a mesma fonte.

O Governo turco, do Presidente Recep Erdogan, considerou que este sistema é estratégico para a defesa do país, sobretudo para a fronteira sul, com a Síria e o Iraque. Foi acrescentado que quando o negócio foi acordado com os russos nem os EUA nem a Europa apresentaram uma alternativa viável.

Na cimeira do G20, em Junho, Erdogan reuniu-se com o Presidente dos EUA, Donald Trump, e disse que Washington não planeava sanções contra Ankara devido à compra do S-400. Trump, por seu lado, disse que a Turquia não estava a ser bem tratada, mas não excluiu as sanções. 

Para o Governo em Washington, o sistema russo vai comprometer os F-35 da Lockheed Martin que a Turquia está a ajuda a construir e que planeia comprar. Os EUA já deram início ao processo de retirar os turcos deste programa, parando o treino de pilotos turcos nos EUA.

Os investidores na Turquia manifestaram-se preocupados com o negócio com a Rússia. E o valor da lira contra o dólar caiu antes do anúncio da chegada dos componentes. 

Sugerir correcção