EUA suspendem Turquia do programa de caças F-35 por causa de mísseis russos

Washington teme que Ancara passe informação sobre os caças que ajude Moscovo a melhorar o seu sistema de mísseis.

,Aeronave
Foto
A Turquia tinha 100 F-35A encomendados Axel Schmidt/Reuters

Os Estados Unidos decidiram suspender a participação da Turquia no projecto de caças F-35, incluindo contratos com empresas turcas para o fabrico de peças para os aviões, porque o Governo turco insiste em adquirir o sistema de mísseis russo S-400.

“Até que desistam da entrega dos S-400, os EUA suspendem as entregas e as actividades associadas com a capacidade operacional turca em relação aos F-35”, disse esta segunda-feira o porta-voz do Pentágono, Charles E. Summers Jr. “Ao adquirir o S-400, a Turquia coloca em risco a sua participação no programa dos F-35”, acrescentou.

A decisão do Departamento de Defesa dos EUA veio poucos dias depois do ministro dos Negócios Estrangeiros turco ter afirmado publicamente que o seu Governo estava empenhado em adquirir o sistema de mísseis à Rússia. “Assinámos um acordo com a Federação Russa e estamos empenhados nesse acordo”, afirmou na sexta-feira Mevlut Çavusoglu depois de uma reunião com o seu homólogo russo, Sergei Lavrov.

Washington teme que ao jogar em dois tabuleiros, Ancara acabe por permitir aos russos aceder ao programa dos F-35 para melhorar o seu sistema de mísseis contra os caças ocidentais.

O Pentágono já está à procura de outros fornecedores que possam substituir os fabricantes turcos das peças dos F-35. Como explicou Summers, o Departamento de Defesa “está a dar passos prudentes para proteger os investimentos conjuntos na nossa importante tecnologia”.

Que um membro da NATO adquira um sistema de mísseis russo é muito raro. E que, apesar da pública e privada oposição da Administração norte-americana, insista em avançar com o processo quando tinham 100 F-35A encomendados e pilotos já a receber formação nos EUA, aumenta ainda mais a estranheza.

“Os EUA foram claros que a aquisição do S-400 pela Turquia é inaceitável”, adiantou o porta-voz do Pentágono.

A Turquia entrou no Programa Conjunto de Caças F-35 em 2002 e desde então investiu mais de 1,25 mil milhões de dólares no seu desenvolvimento. Oito empresas turcas vão perder contractos no valor de 12 mil milhões de dólares.