Torne-se perito

Morton Subotnick e Suzanne Ciani completam o cartaz do Semibreve

O festival de música electrónica vai voltar a apostar em nomes icónicos do género. Oren Ambarchi & Robert Aiki Aubrey Lowe, Kode 9 ou Felicia Atkinson também estarão de 25 a 27 de Outubro em Braga.

,Maçãs de prata
Foto
Morton Subotnick DR

Está encerrado o cartaz da nona edição do Festival Semibreve, que decorre entre 25 e 27 de Outubro em Braga. Completam o alinhamento nomes como Morton Subotnick + Lillevan, Suzanne Ciani, Oren Ambarchi & Robert Aiki Aubrey Lowe, Kode 9, Felicia Atkinson, Drew McDowall + Florence To e Clothilde.

O Festival Semibreve, conhecido por apostar em artistas icónicos e influentes das electrónicas, pretende continuar esta abordagem com os pioneiros Morton Subotnick e Suzanne Ciani, que farão a sua estreia no acontecimento. Morton Subotnick foi o responsável pelo álbum Silver Apples of the Moon (1967), o primeiro trabalho electrónico encomendado por uma grande editora, a Nonesuch, e elemento fundador do histórico California Institute of the Arts, onde colaborou com Terry Riley, Milton Babbitt e Pauline Oliveros. O americano actuará em colaboração com o artista vídeo alemão Lillevan

Ao longo dos mais de 40 anos de carreira, Suzanne Ciani foi nomeada para cinco Grammys, editou 16 discos, actuou em salas por todo o mundo, concebeu a identidade sonora da Coca-Cola e da empresa e consola de videojogos Atari. É uma das mais bem-sucedidas e criativas compositoras de música electrónica das últimas décadas e apresentará um concerto para sintetizador Buchla, marca criada em 1963 pelo pioneiro deste instrumento, Don Buchla.

Oren Ambarchi e Robert Aiki Aubrey Lowe, dois dos mais respeitados músicos a operar nos domínios da música electrónica na actualidade, apresentarão em estreia mundial a sua nova colaboração em formato duo. Já o inglês Kode 9, fundador da Hyperdub, editora de música electrónica, e principal agitador da bass music no Reino Unido, voltará a Portugal para se estrear no Semibreve e gerir, com mestria, a fruição na pista de dança. com música para os pés e a cabeça. Guru da cena electrónica experimental, Felicia Atkinson proporá uma sonoridade que lida com conceitos como improvisação, deep listening, silêncio, ruído e música concreta, numa amálgama que redefine o conceito de música ambiental. Apresentará o seu mais recente disco, The Flower and the Vessel.

O ex-membro da banda experimental inglesa Coil, Drew McDowall, irá revisitar o álbum de 1998 Time Machines, num espectáculo audiovisual, com vídeo operado por Florence To, enquanto Clothilde, projecto de Sofi­a Mestre, recorrerá ao uso de maquinaria e modulares caseiros para criar paisagens emocionais que nos enchem de texturas, melodias e secções sem ponto de chegada de­finido. O seu álbum de estreia, Twitcher, foi lançado pela editora Labareda em 2018.

Estes nomes vão-se juntar aos já confirmados Alessandro Cortini, Scanner + Miguel C. Tavares, Avalon Emerson, Nik Void, Ipek Gorgun, Rian Treanor e Deaf Center. O Semibreve é organizado pela cooperativa artística Auaufeiomau com o apoio da Câmara de Braga e, para além da aposta na música electrónica, também contribui para a divulgação de produção científica no campo das artes digitais produzida por instituições de referência, tais como a Universidade do Minho, a Universidade do Porto, a Universidade Católica, a Fundação Bienal de Cerveira e o projecto Digitópia da Casa da Música.

Os bilhetes já estão disponíveis para venda. O passe geral pode ser adquirido por 39€. Texto editado por Inês Nadais