O Semibreve regressa em Outubro com Scanner ou Avalon Emerson

De 25 a 27 de Outubro, em Braga, a electrónica de Alessandro Cortini, Avalon Emerson, Deaf Center, Ipek Gorgun ou Scanner estará em evidência.

Avalon Emerson
Foto
Avalon Emerson

Será a nona edição, de 25 e 27 de Outubro, e já existem os primeiros nomes para o cartaz do festival Semibreve de Braga, que se tem vindo a distinguir pela aposta nas aventuras electrónicas mais ousadas.

Alessandro Cortini, Avalon Emerson, Deaf Center, Ipek Gorgun, Nik Void, Rian Treanore Scanner + Miguel C. Tavares são os primeiros nomes para o cartaz deste ano. O italiano Alessandro Cortini, que chegou a integrar os Nine Inch Nails, e com vários álbuns a solo onde os sintetizadores estão sempre em evidência, apresentará um espectáculo audiovisual, enquanto a americana Avalon Emerson tratará de mostrar porque é uma das figuras mais reverenciadas do momento no campo da electrónica mais contundente de dança.

Para paisagens mais ambientalistas os noruegueses Deaf Center estrearão em Portugal o seu novo disco Low Distance, assente no piano, guitarra e electrónica, enquanto a compositora electroacústica turca Ipek Gorgun mostrará Ecce Homo, registo do ano passado, feito de temas de grande precisão técnica e contundência emocional.

PÚBLICO -
Foto
Robin Rimbaud (Scanner)

Para encontros entre a electrónica exploratória e a pista de dança haverá de contar com o inglês Nik Void (dos Factory Floor e do trio Carter Tutti Void), ou com o compatriota Rian Treanor, que se prepara para lançar o álbum de estreia, Ataxia, na editora Planet Mu.

Quem também viajará até ao Minho é o inglês Robin Rimbaud, mais conhecido pelo projecto Scanner, que apresentará em estreia um novo espectáculo encomendado pelo Semibreve. O músico e produtor criará, durante uma residência artística a acontecer em Braga, música nova a partir de um instrumento fabricado em solo português – um sintetizador modular da marca ADDAC – ao qual se juntará o vídeo em tempo real do realizador Miguel C. Tavares.

Na edição deste ano, que será mais uma vez organizada pela Auaufeiomau, com apoio da Câmara de Braga, e que se realiza entre o Theatro Circo e o espaço Gnration, será atribuído o prémio Edigma Semibreve, que visa estimular a criação artística no domínio da intersecção entre arte e tecnologia, no valor de 2500 euros.