Agente de Stan Lee acusado de fraude e falsificação

Autor histórico do universo dos super-heróis terá sido também alvo de confinamento, noticia a BBC.

Stan Lee morreu em Novembro, aos 95 anos
Foto
Stan Lee morreu em Novembro, aos 95 anos Reuters/Mario Anzuoni

Desde o Verão de 2018 que havia intensas suspeitas de que Kyle Morgan estivesse a beneficiar indevidamente da sua relação com Stan Lee, autor mítico do universo dos comics. Havia até queixas à polícia, mas só agora chegou a acusação formal. O antigo agente deste co-criador de super-heróis da BD, muitos deles depois transpostos para o cinema, foi responsabilizado por várias formas de abuso do autor que morreu em Novembro, aos 95 anos.

O agente de 42 que também negoceia em memorabilia enfrenta cinco acusações, entre elas as de fraude, falsificação, confinamento e abuso de pessoa idosa, noticia a britânica BBC. Um porta-voz dos tribunais de Los Angeles confirmou que foi emitido um mandato de prisão para Morgan, que ainda não fez qualquer comentário sobre as acusações.

Kyle Morgan aproximou-se de Stan Lee, a quem se deve a criação de O Quarteto Fantástico para a Marvel Comics, em 1961, depois da morte da mulher do autor, Joan, em 2017, e terá tirado partido da sua falta de visão e de memória no fim da vida para se apoderar da gestão de alguns dos negócios deste guionista que terá o seu nome para sempre ligado a super-heróis como o Homem-Aranha e Hulk.

A presença de Morgan junto de Lee levantou muitas preocupações no seu círculo de amigos e familiares, com o agente a ser alvo de queixas à polícia em Maio e Junho do ano passado por, alegadamente, ter participado uma falsa emergência e um crime que não existia. A estas queixas juntou-se uma terceira que dava como certo que o antigo agente tirara o autor multimilionário de casa à meia-noite com a intenção de o isolar dos seus cuidadores.

Morgan negou as acusações, segundo a revista Variety, mas o episódio acabou com um juiz a ordenar que se mantivesse afastado de Lee e da sua família.

O universo de criações de Lee ajudou a fundar o império da Marvel, associado a alguns dos maiores sucessos de bilheteira no cinema nos últimos anos. Só o recente Vingadores: Endgame bateu todos os recordes e fez mil milhões de euros em apenas cinco dias.