Cibercriminosos roubam mais de 36 milhões de euros em bitcoins de uma só vez

O ataque chega numa altura em que o valor da bitcoin estava a subir. Foi possível graças ao roubo de credenciais dos clientes de uma bolsa de moedas virtuais ao longo do tempo.

,Criptomoeda
Foto
A empresa vai usar um fundo de emergência para cobrir o furto Dado Ruvic

Um grupo de cibercriminosos conseguiu roubar cerca de 41 milhões de dólares (um valor que ultrapassa os 36 milhões de euros) da Binance, uma das maiores bolsas mundiais para compra e venda de criptomoedas como a bitcoin. No total, foram roubadas 7000 bitcoins da empresa de Hong Kong numa única transacção — o valor equivale a 2% do número total de bitcoins daquela bolsa.

A informação foi divulgada pelo próprio presidente-executivo da empresa em comunicado publicado esta quarta-feira. Chega numa altura em que o valor da moeda se começava a aproximar dos seis mil dólares (mais de 5300 euros), depois de uma queda no começo do ano.

O ataque à Binance foi possível graças ao roubo de credenciais dos clientes daquela bolsa ao longo do tempo. Um dos métodos usados foi o phishing  — uma técnica de engenharia social em que os atacantes usam mensagens falsas disfarçadas de fontes legítimas como, por exemplo, um email oficial da Binance, para levar um utilizador a fornecer dados confidenciais.

“Os criminosos tiveram a paciência de esperar para executar um plano bem orquestrado através de múltiplas contas aparentemente independentes”, explicou o presidente-executivo da Binance, Zhao Changpeng.

A informação adquirida permitiu que os criminosos acedessem a um cofre virtual de bitcoins, a que a empresa apelida de hot wallet, disponível para transacções rápidas entre os clientes.

A empresa clarifica que apesar do furto, os fundos dos clientes da Binance estão a salvo. A empresa vai utilizar um fundo de emergência, criado em 2018, para cobrir as perdas.

Ao início da tarde desta quarta-feira, uma só bitcoin rondava os 5250 euros, mas o valor oscila bastante — os dados são da CoinMarketCap, um dos indicadores mais populares para seguir o preço de várias criptomoedas online. Uma das críticas mais comuns à bitcoin é a sua volatilidade. Em Dezembro de 2017, a procura por bitcoins explodiu e uma só moeda chegou a valer mais de 19 mil dólares (um valor 1900% acima do que valia um ano antes, em 2016). Mas em Janeiro de 2019 o preço de uma bitcoin rondava pouco mais que 3000 euros.

A moeda nasceu há uma década (vai fazer onze anos em Outubro) quando Satoshi Nakamoto — o criador misterioso de quem apenas se conhece o nome, ou pseudónimo, japonês — partilhou as suas ideias sobre uma moeda virtual que não dependia de uma entidade central para ser emitida. Em plena crise financeira de 2008, o conceito tornou-se uma proposta alternativa ao sistema bancário tradicional e a bitcoin ganhou fama por poder ser transferida de forma anónima entre utilizadores em qualquer parte do mundo

Nos últimos anos têm surgido algumas tentativas de regulação. Na altura em que o valor da bitcoin atingiu um auge, em 2017, os vários Estados-membros da União Europeia começaram a discutir regras para prevenir o financiamento de actividades ilegais com criptomoedas. Uma das medidas implicava eliminar a possibilidade de anonimato.

Sugerir correcção