Castigo de advogado de Sócrates por decidir há quatro anos deixa Ordem em guerra

Em 2015, João Araújo mandou uma jornalista lavar-se e continuou a insultar a comunicação social à saída do Supremo Tribunal de Justiça.

Foto
Enric Vives-Rubio

O episódio data de há quatro anos, tempo suficiente para os tribunais terem agido, exigindo ao advogado de José Sócrates, João Araújo, mais de 12 mil euros, por ter mandado uma jornalista lavar-se. Todo este tempo não chegou, porém, para que a Ordem dos Advogados decidisse de que forma punir o defensor do ex-primeiro-ministro. Pelo contrário: os causídicos encarregados da tarefa travaram-se de razões, não se prevendo uma decisão para tão cedo.