Comentário

Espanha: a grande batalha trava-se na direita

Após os dois debates entre os líderes partidários, Sánchez sobreviveu à prova, Rivera ganhou o primeiro, Iglesias o segundo e Casado afundou-se.

Dois insólitos debates em 24 horas, na segunda e na terça-feira, a cinco dias da votação, encerraram, de facto, a campanha eleitoral espanhola. A incerteza persiste, com 26% de indecisos. Não haverá sondagens até ao encerramento das urnas no domingo à noite. Sabe-se que o PSOE vencerá mas ignora-se se haverá uma maioria para governar. A soma da direita – Partido Popular (PP), Cidadãos (C) e Vox – poderá reunir mais votos mas, dividida em três, não poderá alcançar uma maioria de deputados. De resto, paira no horizonte a grande incógnita: o peso eleitoral do Vox, a nova extrema-direita.