Ambiente e agricultura são áreas de “futuro e necessárias”, mas há cada vez menos alunos

Número de estudantes colocados em cursos destas áreas tem vindo a diminuir. Professores falam em “contradição” entre discursos de preservação do ambiente e procura dos estudantes.

Foto
São cada vez menos os alunos interessados em áreas como o paisagismo ou o território Andre Rodrigues

Em 2004, cerca de 1300 estudantes tinham sido colocados em cursos relacionados com o ambiente, agricultura, silvicultura e pescas. Em 2018, foram menos de 500. Os números da Direcção-Geral do Ensino Superior (DGES) revelam uma quebra de 66% durante este período. No total, até há mais estudantes em cursos superiores. Mas estão a optar por formações em Engenharia, Saúde ou Direito.