O cata-vento da ferida lusa por António Zambujo

Ao adicionar um vídeo (qualquer pessoa o pode fazer com o link e outras informações) na plataforma VIDEOCLIPE.PT, da qual é efetuada a escolha semanal para a única galeria online da arte dos vídeos musicais nacionais, é também solicitado o preenchimento do campo do “estilo visual”. Da lista de opções sugeridas, no final existe a “documental” e a “documental estilizada”. Curiosamente, esta semana chegaram dois vídeos perfeitos para elucidar estas nomenclaturas: respetivamente, o Catavento Da Sé, de António Zambujo, e o Ruído dos Holy Nothing (com BaianaSystem). Neste último, pela sua curta duração e adequação ao ritmo e à temática ou à plasticidade musical, essa linguagem cinematográfica acaba de certo modo estilizada. Mas, neste aqui destacado, quando a sensibilidade é grande para o olhar retratista, mesmo neste cinema funcional (até foi filmado em película), consegue transmitir a humanidade e a honestidade necessária para fazer uma obra panegírica, ainda que de uma ferida lusa. De um Portugal que vemos passar sem conseguir estancar, mas com tanto de afeto por ele quanto de pesar.

Estamos a falar do olhar de um dos mais prolíficos realizadores de videoclipes portugueses, agora mais revitalizado para isso com a sua Casper Films, o Bruno Ferreira, já outras vezes aqui destacado. E ainda recentemente no anterior videoclipe para o António Zambujo. Este que assim faz qualquer pessoa ficar ainda mais desejosa de ouvir o resto do novo álbum, o Do Avesso, para tentar saber se existem outros temas soberbamente escritos pelo seu compincha Miguel Araújo, como é o caso deste.

Texto escrito segundo o novo Acordo Ortográfico, a pedido do autor.

Sugerir correcção