Mentiras de 1 de Abril recrutadas para o combate às notícias falsas

Um grupo de investigadores no Reino Unido usou centenas de piadas do Dia das Mentiras para ensinar algoritmos a detectar notícias falsas.

Foto
Para os investigadores, nas redes sociais todos os dias se parecem com o Dia das Mentiras Igor Russak/SOPA Images/LightRocket via Getty Images

Pôr máquinas a estudar mentiras difundidas durante o dia 1 de Abril pode ajudar algoritmos a detectar notícias falsas. A conclusão é de um grupo de académicos da Universidade de Lancaster, no Reino Unido, que está a explorar como a informação falsa se espalha online. O argumento é que numa era de desinformação — com o Facebook a ser repetidamente criticado por permitir que notícias falsas se espalhem na plataforma — todos os dias se parecem com o Dia das Mentiras.

“As piadas do dia 1 de Abril são úteis porque nos dão uma fonte verificável de textos enganosos que podemos utilizar para encontrar técnicas linguísticas utilizadas quando um autor quer escrever algo fictício disfarçado de um facto”, explicou um dos investigadores, Edward Dearden, em comunicado. “Isto dá-nos uma melhor ideia do tipo de linguagem utilizada por autores de desinformação.”

A equipa compilou uma base de dados com cerca de 500 piadas do dia 1 de Abril, escritas ao longo de 14 anos, em 370 sites. Descobriram que detalhes importantes (l​ocais, nomes e datas específicos) são menos comuns em piadas do dia 1 de Abril e em notícias falsas. A excepção são nomes de políticos proeminentes, como “Trump” ou “Hillary”, que abundam em notícias falsas. A utilização do pronome pessoal “nós” é outro marco comum.

A informação foi usada para ensinar algoritmos: quando as piadas do dia 1 de Abril eram a única fonte, os algoritmos detectaram informação falsa 65% das vezes. “Os nossos resultados sugerem que há elementos em comum entre diferentes formas de desinformação, resumiu Alistair Baron, outro responsável do projecto. "Explorar essas semelhanças pode ser útil.”

Os investigadores de Lancaster não são os únicos a ver uma conexão entre notícias falsas e o Dia das Mentiras. Este ano, a Microsoft está a tentar barrar brincadeiras de 1 de Abril entre os trabalhadores. Num comunicado interno, o director de marketing Chris Caposella anunciou ter “dados que mostram que as brincadeiras têm um impacto positivo limitado e podem criar ciclos de notícias indesejados.”