Prémios Aga Khan na área da música são entregues em Lisboa no final do mês

A cerimónia, que decorrerá entre 29 e 31 de Março, distinguirá músicos e instituições que se distinguem pela "criatividade, potencial de excepção e pelo empreendedorismo". O iraniano Daliush Tarai, a maliana Oumou Sangaré e o seu compatriota Ballaké Sissoko verão premiada a carreira.

Oumou Sangaré, uma das premiadas, será distinguida na categoria  Contribuições Importantes e Duradouras para a Música
Foto
Oumou Sangaré, uma das premiadas, será distinguida na categoria Contribuições Importantes e Duradouras para a Música Mario Lopes Pereira

Os Prémios Aga Khan, que distinguem a criatividade, o potencial de excepção e o empreendedorismo, são entregues no final deste mês, em Lisboa, quando será conhecido o Prémio de Desempenho, na área musical, divulgou a Fundação Aga Khan. A cerimónia de entrega dos galardões, de 29 a 31 de Março, é organizada em colaboração com a Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa.

Esta edição terá nove vencedores e conta com 14 finalistas do Prémio de Desempenho, que vêm de 13 países e “representam diversas formas de realização profissional”, segundo a Fundação. Para além de Desempenho, o âmbito dos Prémios inclui as categorias de Criação Musical; Educação; Preservação, Revitalização e Divulgação; Inclusão Social; e Contribuições Importantes e Duradouras para a Música, sendo também entregue o Prémio do Patrono ao músico iraniano Mohammad Reza Shajarian.

O galardão é entregue a Reza Shajarian “em reconhecimento da sua contribuição duradoura para o património musical da humanidade, a sua inigualável mestria musical e o seu reiterado impacto social enquanto intérprete e professor, tanto no Irão, como para lá das suas fronteiras”, segundo a mesma fonte.

O Prémio Aga Khan de Criação vai ser entregue à compositora e pianista Franghiz Ali-Zadeh, do Azerbaijão, “autora dum prolífico repertório de música clássica para concerto que se inspira nas veneráveis tradições musicais e literárias do Azerbaijão”. O de Educação distinguirá o Omnibus Ensemble, com sede em Tashkent, no Uzbequistão, onde trabalha “para criar uma aproximação artística entre as tradições clássicas locais e as linguagens da música contemporânea”, e o de Inclusão Social vai para Badiaa Bouhrizi, também conhecida pelo seu nome artístico Neysatu. É uma cantautora e compositora da Tunísia que “tem usado o seu talento musical para promover a justiça social e os valores do pluralismo e da democracia”.

O Prémio Aga Khan de Preservação, Revitalização e Divulgação será atribuído a Farhod Halimov, cantor, multi-instrumentista e compositor de Samarkand, Uzbequistão, que tem vindo a preservar o repertório tradicional de canções clássicas de Samarcanda, e ao Museu Gurminj de Instrumentos Musicais, em Duchambé, do Tajiquistão, pelo seu trabalho na preservação e revitalização do património musical dos povos e culturas da Ásia Central, e, em particular, da cultura musical ismaeli da região de Pamir, no Tajiquistão.

Quanto ao prémio que celebra Contribuições Importantes e Duradouras para a Música, vai ser entregue a três personalidades, entre elas, Oumou Sangaré, “célebre cantautora do Mali, conhecida pelo seu compromisso com a formação e o desenvolvimento das carreiras de jovens em profissões relacionadas com a música”.

As outras personalidades distinguidas com este galardão são Ballaké Sissoko, músico e compositor também do Mali, que “desenvolveu a arte da kora de formas criativas e inovadoras, mas ao mesmo tempo firmemente enraizadas na tradição”, e Dariush Talai, tocador tar e setar, musicólogo, compositor e educador iraniano, “que está a ser reconhecido pela sua excepcional dedicação à transmissão da tradição de execução clássica do tar através das suas várias actividades enquanto artista, educador e estudioso”.

Informa a Fundação Aga Khan que “os vencedores irão dividir entre si um prémio total de 500 mil dólares [cerca de 441 mil euros] e colaborar com os Prémios para a Música com o objectivo de expandir o impacto da sua obra e desenvolver as suas carreiras”.

Quanto aos finalistas do Prémio na categoria de Desempenho, “vão actuar para uma plateia ao vivo, na qual se incluirá o Grande Júri, que irá anunciar o vencedor desta categoria após a actuação”. Tal acontecerá na cerimónia de entrega de prémios marcada para a noite de 31de Março.

A lista de 14 finalistas é formada por quatro músicos iranianos, Arash Mohafez (santur), Reza Parvizade (kamancheh), Nasim Siabishahrivar (voz) e Shahou Andalibi (ney persa); três músicos palestinianos, Ahmad Al Khatib (oud), Nai Barghouti (voz e flauta) e Huda Asfour (oude qanun); dois músicos indianos, Sougata Roy Chowdhury (sarod) e Asin Khan Langa (voz e sarangi); um músico turco, Burak Kaynarca (oud), um paquistanês, Ejaz Sher Ali Khan (voz e harmónio), um libanês, Abeer Nehme (voz), um sírio, Mohamad Osman (oud e buzuq) e um egípcio, Mustafa Said (oud).