Greve Climática Estudantil reunirá jovens de todo o mundo
Foto
Greve Climática Estudantil reunirá jovens de todo o mundo Reuters/EVA PLEVIER

Portugal assinala Greve Climática Estudantil com 26 concentrações (pelo menos)

Estudantes irão juntar-se nesta sexta-feira, 15 de Março, para reivindicar políticas de defesa do clima. Estima-se que movimento possa juntar nove milhões de jovens em todo o mundo.

O protesto inspirado pela adolescente sueca Greta Thunberg sairá, esta sexta-feira, às ruas de meia centena de países. Portugal não será excepção. De Norte a Sul — sem esquecer as regiões autónomas —​ estão confirmados 26 eventos de acolhimento à primeira Greve Climática Estudantil. Novos locais de concentração poderão ainda ser anunciados nas redes sociais do movimento.

Na região norte, o local que deverá receber mais estudantes será o Porto. Bárbara Pereira, uma das responsáveis pela organização da greve na cidade, explicou ao PÚBLICO que o protesto terá início por volta das 10h30, e terá lugar nas imediações da câmara municipal. Apesar de as actividades a realizar ainda não estarem plenamente definidas, a organizadora afirma que a iniciativa se irá prolongar durante sensivelmente três horas, terminando pelas 13h30.

À mesma hora, terão início as restantes concentrações. Para além do Porto, Braga, Viana do Castelo, Chaves, Barcelos, Arouca, Ponte de Lima e Vila Real serão palco de protestos. Para a zona Centro, estão agendadas seis concentrações: Coimbra, Covilhã, Ourém, Fornos de Algodres, Leiria e Tomar.

Na zona sul, Lisboa será o principal ponto de encontro de estudantes a nível nacional. Francisco Sanona, um dos organizadores do evento em Lisboa, explicou ao PÚBLICO o que já está delineado: “Vamo-nos encontrar no Largo Camões e depois iremos fazer uma marcha até à Assembleia da República. Depois estão planeados alguns discursos de pessoas ligadas ao movimento. Ainda não temos uma hora definida para terminarmos, mas, tal como no Porto, deverá ser por volta das 13h30.”

A zona sul será a mais representada nesta greve estudantil, com oito pontos de concentração. Faro, Portalegre, Reguengos de Monsaraz, Évora, Santarém, Setúbal e Torres Vedras juntar-se-ão à capital para acolher a primeira Greve Climática Estudantil. O protesto também chegará aos arquipélagos. Nos Açores, a ilha das Flores, a ilha de Santa Maria e o Faial terão concentrações de estudantes. No arquipélago da Madeira, o Funchal será o ponto de encontro para os jovens madeirenses.