Idosos foram alvo de 61% dos roubos a residências registados pela GNR em 2018

GNR vai reforçar patrulhamento. Existe uma “especial preponderância" para ocorrências “nos dias úteis e no período da tarde”, quando “as pessoas estão ausentes das suas residências".

Foto
Paulo Pimenta

No âmbito da operação Residência Segura, entre 11 e 15 de Março, a GNR vai reforçar o patrulhamento em algumas zonas residenciais e distribuir folhetos com dicas sobre os cuidados a ter para evitar situações de furto ou roubo em casa. 

Em comunicado, esta força de segurança contextualiza com alguns dados a necessidade de sensibilização e proximidade das pessoas. Dos 6900 furtos que ocorreram no ano passado, registados pela GNR, 32% aconteceram por “mero descuido do proprietário”. E dos 175 roubos — quando há violência contra a pessoa — em residências, 61% visaram pessoas idosas, o que tem exigido à GNR um “trabalho contínuo de georreferenciação das residências mais isoladas”.

Estes crimes, diz a GNR, “ocorrem em diversos períodos do dia e dias da semana”, mas existe uma “especial preponderância" para ocorrências “nos dias úteis e no período da tarde”, quando “as pessoas estão ausentes das suas residências”.

Há medidas que podem ser tomadas para prevenir estas situações. A GNR aconselha, por exemplo: a não abrir a porta de casa ou do prédio sem saber quem são as pessoas que estão a tocar; fechar as janelas e trancar as portas ao sair de casa; não deixar acumular correspondência na caixa do correio; e não deixar recados na porta ou na janela que indiquem que não está ninguém em casa.