Torne-se perito

GNR sinalizou 45.563 idosos a viver sozinhos ou isolados

Foi em Vila Real, Guarda e Viseu que foram identificados mais idosos a viver sozinhos ou isolados durante a operação "Censos Sénior" 2018.

Foto
PAULO PIMENTA

A GNR sinalizou 45.563 idosos a viver sozinhos ou isolados em todo o país em Outubro de 2018, mais 47 do que na operação "Censos Sénior" realizada em 2017, anunciou esta quarta-feira aquela força de segurança.

Em comunicado, a GNR adianta que o maior número de idosos identificados a viver sozinhos ou isolados foi no distrito de Vila Real (4515), seguido da Guarda (4008), Viseu (3776), Beja (3715), Bragança (3385), Faro (3165) e Portalegre (3156).

Em Lisboa foram identificados 1138 idosos a viver sozinhos e isolados e no Porto 1168.

A GNR explica que durante o mês de Outubro de 2018, em todo o território nacional, realizou mais uma edição da Operação "Censos Sénior" que teve como objectivo actualizar os registos das edições anteriores e identificar novas situações de idosos que vivem sozinhos e/ou isolados.

Durante a operação "Censos Sénior 2018", a GNR, sinalizou 45.563 idosos que vivem sozinhos e/ou isolados, ou em situação de vulnerabilidade, devido à sua condição física, psicológica, ou outra que possa colocar a sua segurança em causa.

"As situações de maior vulnerabilidade foram reportadas às entidades competentes, sobretudo de apoio social, no sentido de fazer o seu acompanhamento futuro.

"Durante a operação, os militares privilegiaram o contacto pessoal e a realização de acções em sala, no sentido de sensibilizarem este público-alvo para que não adoptem comportamentos de risco, evitando que se tornem vítimas de crimes, como furtos, roubos ou burlas", é referido.

Na operação "Censos Sénior" 2017 (realizada durante todo o mês de Março de 2017), a GNR sinalizou 45.516 idosos a viver sozinhos ou isolados em todo o país.

Dos 45.516 idosos identificados, 28.279 viviam sozinhos, 5124 residiam em locais isolados e 3521 viviam sozinhos e isolados.

Desde 2011 que a GNR tem sinalizado cada vez mais idosos a viver nestas condições.

Sugerir correcção