Militar da GNR suspeito de abuso sexual de mulher detida

O militar foi detido na terça-feira, um dia depois de ter sido formalizada uma queixa pela mulher de 45 anos, que terá sido abusada sexualmente pelo guarda no posto de Celorico da Beira.

Foto
Margarida Basto

Um militar da Guarda Nacional Republicana foi detido na terça-feira por suspeita de ter abusado sexualmente de uma pessoa detida, uma mulher de 45 anos, informou a GNR em comunicado. O mandado de detenção “fora de flagrante delito” foi emitido pelo Departamento de Investigação Criminal da Polícia Judiciária da Guarda.

O crime terá ocorrido no domingo, 24 de Fevereiro, um dia depois de a mulher ter sido levada para o Posto Territorial de Celorico da Beira, onde permaneceria detida. No dia seguinte, “a detida formalizou uma queixa-crime nas instalações da PJ por, alegadamente, ter sido vítima de abusos sexuais praticados por um militar da GNR no referido posto”, lê-se no comunicado.

O militar foi entretanto presente ao Tribunal Judicial da Guarda, tendo sido aplicada a medida de coacção de termo de identidade e residência. A GNR refere que foi também instaurado um procedimento disciplinar e o militar foi “preventivamente transferido para outra subunidade do Comando Territorial da Guarda”.

Em Setembro, o PÚBLICO noticiava que em 2017 chegaram à Inspecção-Geral da Administração Interna (IGAI) 267 queixas de ofensas à integridade física por parte das forças de segurança, grande parte delas relacionadas com agressões físicas. Foram instaurados 16 processos disciplinares a elementos da GNR e da PSP e, dos casos concluídos, aplicaram-se seis penas disciplinares; 20 dos casos foram arquivados. O PÚBLICO fez também uma lista dos casos mediáticos recentes em que políticas responderam por agressões.