O nome do realizador Bryan Singer foi retirado dos prémios BAFTA

A decisão deve-se às acusações de abuso sexual de menores de que é alvo o realizador do filme Bohemian Rhapsody. Os prémios serão entregues no domingo.

Foto
Reuters/Hannah Mckay

As atribulações à volta do realizador de cinema Bryan Singer continuam, na sequência das acusações de abuso sexual de menores que têm vindo a público. Esta quinta-feira, ficou a saber-se que o realizador de Bohemian Rhapsody foi retirado da nomeação para o prémio BAFTA de melhor filme britânico. Os prémios serão entregues no próximo domingo.

Em comunicado, a academia britânica considera que os alegados comportamentos são “inaceitáveis e incompatíveis com os seus valores”. Embora recordando que Singer tem vindo a negar todas as acusações, a academia opta pela suspensão até o caso ficar totalmente esclarecido.

Sendo assim, o filme Bohemian Rhapsody, que reflecte a história de vida do cantor dos Queen, Freddie Mercury, continua nomeado, mas o nome de Singer foi retirado dos créditos. Para além de melhor filme, a obra está nomeada noutras seis categorias, incluindo a de melhor actor, com Rami Malek. A obra está também nomeada para o Óscar de melhor filme, sendo que nesse contexto o nome de Singer não aparece sequer nos nomeados dessa categoria. Os créditos são atribuídos ao produtor Graham King e ao argumentista Anthony McCarten.

As acusações de que tem sido alvo não são novas. Desde 1997 que elas existem. A primeira acusação formal contra Singer, que em 1995 tomou Hollywood de assalto com Os Suspeitos do Costume, surgiu há mais de 20 anos. Durante a rodagem de Sob Chantagem, o seu filme seguinte, cinco figurantes, com idades compreendidas entre os 14 e os 17 anos, tentaram processar o realizador por este os ter obrigado a despirem-se durante uma cena num chuveiro. O processo acabaria por ser encerrado, mas os rumores acerca de Singer persistiram e as acusações foram-se sucedendo.

Recorde-se que o realizador foi afastado, quase no final, das rodagens de Bohemian Rhapsody, não devido às acusações de abuso sexual, mas ao comportamento excêntrico e confrontos com Rami Malek, o actor que faz de Freddie Mercury.