Novo presidente do Senado brasileiro está a ser investigado pelo Supremo

Em causa estão suspeitas de irregularidades eleitorais durante a campanha de 2014, em que David Alcolumbre foi eleito senador.

David Alcolumbre
Foto
David Alcolumbre EPA/Joedson Alves

David Alcolumbre, que no domingo foi eleito presidente do Senado brasileiro, está a ser investigado em dois processos no Supremo Tribunal Federal (STF) por suspeitas de irregularidades na campanha de 2014, quando conquistou o lugar de senador.

Segundo noticia a revista Veja, Alcolumbre (Democratas, DEM), é suspeito de ter usado documentos fiscais falsificados, emitidos pela empresa LLS Morais, para prestação de contas.

Os dois casos foram inicialmente abertos pela justiça eleitoral, mas acabaram arquivados. No entanto, em 2016 e 2018, o STF reabriu as investigações, que decorrem desde então de forma conjunta e estão a cargo da juíza Rosa Weber.

Segundo cita a Veja, o agora líder do Senado reclamou, em comunicado, inocência e garante que as acusações serão “esclarecidas e devidamente dirimidas”.

Alcolumbre, de 41 anos, foi no domingo eleito presidente do Senado batendo a concorrência do veterano Renan Calheiros (Movimento Democrático Brasileiro, MDB).

Apesar de não ter recebido apoio público do Presidente Jair Bolsonaro, Alcolumbre tinha a seu lado Onyx Lorenzoni, ministro da Casa Civil.

Sugerir correcção