Metro de Arroios deverá reabrir no final de 2020 ou no início de 2021

Metro de Lisboa rescindiu o contrato com empreiteiro por incumprimento e vai lançar um novo concurso que empurrará a conclusão da obra para o final de 2020 ou início de 2021. Será também lançado novo concurso para a conclusão da obra na estação do Areeiro.

Foto
Nuno Ferreira Santos

Ainda não é este ano que será reaberta a estação de metro de Arroios. As obras para o alargamento do cais iniciaram-se em Julho de 2017 e estavam previstas terminar em Março de 2019, contudo os trabalhos atrasaram-se. O gabinete do ministro do Ambiente, Matos Fernandes, avança agora com uma nova data para a reabertura da estação: final de 2020 ou início 2021.

Este novo prazo foi anunciado numa resposta a uma pergunta colocada pelos deputados Isabel Pires e Heitor de Sousa, do Bloco de Esquerda, que questionaram o Governo sobre os atrasos na obra, que levaram mesmo o Metro de Lisboa a rescindir o contrato com o empreiteiro no início deste ano.

Esta decisão, detalha o gabinete de Matos Fernandes, foi motivada por “desvios na afectação de meios ao contrato e os atrasos no cumprimento dos prazos” por parte da empresa Opway - construtora que pertencia ao Grupo Espírito Santo e que foi adquirida, no final de 2017, pela Nacala Holdings. 

A estação de metro de Arroios fechou há cerca de ano e meio para que fossem feitas obras de ampliação do cais para os 105 metros, permitindo assim a circulação de comboios com seis carruagens para fazer face à enchente gerada em hora de ponta ao longo de toda a linha Verde. Seriam também instalados elevadores no átrio norte para facilitar o acesso à Praça do Chile.

No entanto, as obras pouco avançaram e os comerciantes da zona começaram a queixar-se que desde que foram colocados os tapumes às portas das suas lojas foram perdendo clientela. Alguns estabelecimentos tiveram mesmo de fechar portas. 

Na resposta dada ao Parlamento, o Ministério do Ambiente adianta ainda que o Metro pretende lançar um novo “concurso público internacional, com prévia qualificação”, até ao final de Janeiro.

As obras de ampliação estavam estimadas em 5,9 milhões de euros, mais 1,3 milhões de euros do que o inicialmente previsto, e teriam a duração de dois anos. O PÚBLICO questionou o Metro de Lisboa, há duas semanas, sobre se seria previsível o aumento custo da intervenção dado este atraso, no entanto, a empresa afirmou, por escrito, que só depois da adjudicação do novo contrato será possível conhecer o valor da obra. 

Novo concurso para obras do Areeiro

Há mais de quatro anos que os trabalhos de requalificação do átrio norte da estação do Areeiro estão parados, o que levou os deputados do Partido Ecologista Os Verdes (PEV) a questionaram o Governo sobre o estado da intervenção. 

As obras nesta estação, também da linha Verde, começaram em 2008 para que pudessem circular comboios de seis carruagens. Cinco anos depois, em Novembro de 2013, entrou em funcionamento o novo átrio sul, e apenas nessa altura se iniciou a remodelação do átrio norte, que dá acesso à Praça Francisco Sá Carneiro e à Avenida Almirante Gago Coutinho, onde seriam instalados elevadores, renovadas as paredes, tectos e pavimentos. No entanto, a obra acabou suspensa em 2014 também por incumprimento contratual do empreiteiro.

Desde então, este acesso da estação está encerrado. “A verdade é que, apesar dos sucessivos anúncios de retomar as obras e de conclusão das mesmas, até agora nada disso se concretizou, situação que tem, naturalmente, vindo a motivar queixas por parte dos moradores e dos comerciantes ao longo dos anos”, escreveram os deputados Heloísa Apolónia e José Luís Ferreira. 

Na resposta, o Ministério do Ambiente afirma que foi “necessário proceder a ajustamentos e à reprogramação dos trabalhos de reformulação do átrio norte” da estação, “de modo a responder a novas intervenções ao nível do reforço estrutural da laje do cais junto ao topo norte da estação, do tratamento das infiltrações nos tímpanos do rebaixo do túnel rodoviário, bem como de infiltrações ao nível do pavimento do átrio sul”​. O gabinete de Matos Fernandes adiantou ainda que o Metro de Lisboa pretendia lançar outro concurso público para a conclusão da empreitada até ao final de Janeiro. 

A obra do átrio norte da estação do Areeiro está orçada em 3,8 milhões de euros e demorará um ano a ser concluída. 

O Metropolitano de Lisboa anunciou esta quinta-feira que transportou mais de 169 milhões de passageiros no ano passado, mais 4,7% do que em 2017, o que, segundo a empresa, permitiu atingir um novo recorde. Este crescimento de viagens representou uma subida nas receitas, que atingiu também um novo máximo ao subir 5,4% para cerca de 114 milhões de euros.

Sugerir correcção