A nova geração da música portuguesa já tem festival: o Emergente

Pedro Mafama, Sun Blossoms, Filipe Sambado, Cave Story, Sunflowers ou Stone Dead são alguns dos nomes que fazem parte do Emergente, um novo festival, que acontece entre 15 e 16 de Fevereiro, em Lisboa.

Filipe Sambado e os Acompanhantes de Luxo
Foto
Filipe Sambado e os Acompanhantes de Luxo

O objectivo é convocar uma nova geração de músicos e bandas portuguesas, algumas praticamente desconhecidas, e outras emergentes, já alvo de culto, num concluo onde cabe rock, música de dança, punk ou sonoridades experimentais. Independentemente das estéticas, a unir tudo isto, diz a organização do novo festival Emergente, está a “intensidade e energia como os corações estão a precisar.”

No total serão 18 horas de música, divididas por dois dias – 15 e 16 de Fevereiro – com 13 bandas e duas sessões DJ. O local onde tudo acontecerá será o espaço do Lisboa ao Vivo (LAV), em Marvila, Lisboa. Além de todas as bandas portuguesas, de Madrid, Espanha, chegarão também os Tourjets, especialistas em rock psicadélico, e de São Paulo, Brasil, virá a dupla de DJ Venga Venga.

A abertura está programada para 15 de Fevereiro, às 21h, com os Cosmic Mass, com a noite a prosseguir até de madrugada com os Sun Blossoms, Time for T, Tourjets, Filipe Sambado e os Acompanhantes de Luxo, Pedro Mafama e sessão DJ dos Venga Venga. No dia seguinte, 16 de Fevereiro, a sala Lisboa ao Vivo abre à mesma hora, para acabar só de manhã, lá pelas 6 da madrugada. Ao palco sobem Môrus, Elephant Maze, Palmers, Ossos D'Ouvido, Cave Story, Sunflowers, Stone Dead e sessão DJ dos Dji Jays.

Os bilhetes já se encontram à venda. A entrada diária custa 15€, enquanto que o passe de dois dias fica por 20€.