Deputados do PSD podem faltar ao plenário para ir ao conselho nacional e têm justificação

Fernando Negrão lembra que a falta pode ser justificada com trabalho político.

Os 89 deputados do PSD têm assento no Conselho Nacional do partido
Foto
Os 89 deputados do PSD têm assento no Conselho Nacional do partido LUSA/MIGUEL A. LOPES

Os deputados podem faltar ao plenário e apresentar justificação da falta com trabalho político. Esta foi a resposta dada por Fernando Negrão, líder da bancada do PSD, ao deputado Ulisses Pereira, que pediu uma alteração da hora do conselho nacional desta quinta-feira, no Porto, que coincide com a sessão plenária da Assembleia da República. 

A reunião do conselho nacional extraordinário, que irá votar uma moção de confiança à direcção de Rui Rio, foi marcada para as 17h desta quinta-feira. 

Contactado pelo PÚBLICO, Ulisses Pereira confirmou a resposta que recebeu por parte de Fernando Negrão, mas diz estranhar o seu teor. “Sei como justificar as faltas”, disse. 

Todos os 89 deputados do PSD têm assento no conselho nacional, embora não tenham direito de voto. Só podem votar os que também são líderes de distritais. Para alguns sociais-democratas ouvidos pelo PÚBLICO, se a bancada ficar vazia na quinta-feira à tarde, pode ficar em causa a imagem do grupo parlamentar, já que a percepção vai ser a de que os deputados preferem ir a uma reunião partidária a que comparecer na Assembleia da República.

Já Pedro Pinto, líder da distrital de Lisboa, tinha criticado a hora marcada, por considerar que há muitos membros do conselho nacional que trabalham. O presidente da mesa do conselho nacional, Paulo Mota Pinto, justificou a escolha da hora para permitir “um maior número de intervenções possível”.