Reunião entre Trump e líderes democratas no Congresso terminou em 14 minutos

Presidente e democratas continuam de costas voltadas, sem chegar a um acordo para acabar com a paralisação do Governo, que dura há 19 dias.

Donald Trump visita esta quinta-feira a fronteira com o México
Foto
Donald Trump visita esta quinta-feira a fronteira com o México Reuters/JIM YOUNG

Durou menos de um quarto de hora a reunião entre o Presidente dos EUA, Donald Trump, e os líderes do Partido Democrata no Congresso, que tinha como objectivo alcançar um acordo para pôr fim à paralisação parcial do Governo norte-americano, conhecido como shutdown. Sem acordo à vista, tudo se mantém na mesma e o impasse irá continuar.

Trump recebeu os líderes das bancadas democratas na Câmara dos Representantes, Nancy Pelosi, onde o partido tem a maioria, e no Senado, Chuck Schumer, na Situation Room, na Casa Branca na noite de quarta-feira. Trump decidiu ser directo e perguntou-lhes se eles estariam dispostos a aprovar o financiamento de 5,7 mil milhões de dólares para a construção do muro na fronteira com o México caso ele desbloqueasse os fundos federais para que o shutdown terminasse.

“A Nancy disse NÃO, eu disse bye bye, nada mais resulta!”, escreveu Trump no Twitter. O Presidente norte-americano considerou o encontro uma “perda de tempo completa” e manteve tudo na mesma.

O teor da reunião foi descrito de forma semelhante por Schumer. “Ele perguntou a Pelosi ‘concorda com o meu muro?’. Ela disse que não.” Trump saiu então da sala dizendo apenas “Não temos mais nada a discutir”, contou o senador. “Mais uma vez vimos uma birra porque ele não consegue aquilo que quer”, comentou Schumer.

Com a Casa Branca e os democratas de costas voltadas, tudo indica que o shutdown, que vai já no 19.º dia, poderá bater o recorde de paralisação mais longa da história – algo que pode acontecer no sábado. Desde 22 de Dezembro que 800 mil funcionários públicos estão em casa ou, no caso de funções essenciais, a trabalhar, mas sem receber salário.

Em causa está a exigência de Trump de que a Câmara dos Representantes, onde o Partido Democrata tem maioria desde as eleições intercalares de Novembro, aprove o financiamento de 5,7 mil milhões de dólares para a construção de um muro na fronteira com o México para travar a imigração ilegal – uma das promessas de campanha mais icónicas de Trump.

Esta quinta-feira, o Presidente vai continuar a tentar mobilizar a opinião pública para a necessidade de uma barreira física na fronteira sul dos EUA e vai visitar um posto da guarda fronteiriça no Texas. Uma sondagem recente mostra que 51% dos norte-americanos culpam Trump pelo shutdown, mas uma grande maioria dos eleitores republicanos (77%) apoiam a construção do muro.