Louvre ultrapassa a marca de 10 milhões de visitantes

Em 2018, o museu francês foi capaz de ultrapassar o seu próprio recorde de visitantes e manter o interesse do público mais jovem com as filmagens do vídeo Apeshit de Beyoncé e Jay-Z a acontecer dentro do espaço.

Foto
Reuters/Charles Platiau

O Louvre, o museu mais visitado do mundo, ultrapassou o recorde dos dez milhões de visitantes em 2018, um marco que ainda não tinha sido atingido por qualquer museu internacional de belas artes e antiguidades até à data, avança a administração do mesmo. 

"Pela primeira vez na sua história, e acho que pela primeira vez na história dos museus, mais de dez milhões de pessoas visitaram o Louvre em 2018", disse o presidente da entidade, Jean-Luc Martinez esta quinta-feira à Agence France-Presse (AFP).

Com 10,2 milhões de visitantes, o Louvre registou um aumento de 25% em relação a 2017 (8,1 milhões) e ultrapassou o seu próprio recorde de visitantes (9,7 milhões em 2012). Os estrangeiros representam quase três quartos dos visitantes, sendo que os americanos lideram a tabela com quase 1,5 milhões de pessoas. No entanto, os cidadãos franceses continuam a ser a principal nacionalidade que visita o Louvre (25% ou 2,5 milhões dos 10 milhões de visitantes registados). 

Segundo Martinez, este recorde é impulsionado pelo "aumento do turismo internacional em Paris depois de uma queda nos últimos anos por causa dos ataques terroristas", mas também pelas obras que aumentaram a capacidade do museu. No últimos dois anos foi criada uma nova sala para bagagem e uma nova bilheteira que permitiram receber mais visitantes.

A introdução do e-commerce também reduziu os tempos de espera em filas. O presidente do museu acrescenta que as manifestações do movimento "Coletes Amarelos" não tiveram impacto no número de visitantes, sendo que o museu esteve fechado apenas no dia 8 de Dezembro.

O Louvre conseguiu também manter o número de visitantes jovens (50% têm menos de 30 anos), números que foram impulsionados pelo sucesso do videoclip de Beyoncé e Jay-Z, Apeshit, lançado no Verão de 2018, que foi filmado no museu e mostrou obras-primas como Mona Lisa ou A Consagração do Imperador Napoleão e a Coroação da Imperatriz Joséphine.

O vídeo já visualizado quase 150 milhões de vezes foi visto como um ponto de partida para jovens visitantes, levando o museu a criar um guia especial baseado no vídeo.

"O vídeo da Beyoncé e do Jay-Z, tal como a inauguração do museu do Louvre em Abu Dhabi, garantiu que o Louvre fosse falado em todo o mundo, tendo como consequência o aumento espectacular no número de visitantes no ano passado", disse Jean-Luc Martinez citado pelo The Guardian.

O museu quer chegar a este novo segmento de audiência com mais facilidade este ano, criando para tal uma noite grátis no primeiro sábado de cada mês. Este dia substituirá os domingos grátis que vão deixar de existir uma vez que beneficiavam mais turistas estrangeiros.

Sugerir correcção