Mais de 780 pessoas em situação de sem-abrigo vacinadas contra a gripe em Lisboa

Campanha de vacinação contra a gripe para a população sem-abrigo chegou a 782 pessoas. Manuel Grilo afirma que medida teve "uma cobertura quase total do número de pessoas nesta situação vulnerável".

Este ano foram vacinadas 782 pessoas em situação vulnerável
Foto
Este ano foram vacinadas 782 pessoas em situação vulnerável Paulo Pimenta

Mais de 780 pessoas em situação de sem-abrigo foram vacinadas contra a gripe numa campanha promovida pela Câmara de Lisboa, e que decorreu no início do mês, adiantou à agência Lusa o município.

De acordo com o gabinete do vereador dos Direitos Sociais, Manuel Grilo, "foram vacinadas 782 pessoas" na campanha que decorreu entre 3 e 7 de Dezembro.

Esta campanha de vacinação foi anunciada no final de Novembro, e, segundo o vereador, este é já "o terceiro ano consecutivo" em que esta campanha acontece, com o objectivo de "melhorar as condições de saúde desta população".

Em declarações à Lusa, Manuel Grilo afirmou que "tal como previsto, os números foram muito semelhantes ao ano anterior".

"Isto prova que conseguimos abranger uma maior fatia da população em situação de sem-abrigo, tanto em situação de rua como em respostas socais permanentes", considerou o eleito.

A vacinação aconteceu nos centros de acolhimento e através de equipas móveis e fixas durante o dia e noite.

Em Novembro, Manuel Grilo apontava que a iniciativa iria permitir também realizar uma nova contagem dos sem-abrigo e actualizar os respectivos diagnósticos.

Na altura, o vereador adiantou que o número de pessoas a dormir na rua diminuiu para metade desde 2015 até hoje, passando de 700 para 350 as pessoas em situação de sem-abrigo na capital.

Além destas, existem mais 500 pessoas que já não dormem na rua, estão em centros de acolhimento e são ajudadas através das várias valências que o programa municipal e o NPISA (Núcleo de Planeamento e Intervenção Sem-Abrigo) oferecem.

Hoje, o autarca bloquista referiu que "esta é uma medida importante", que teve "uma cobertura quase total do número de pessoas nesta situação vulnerável na cidade".

Sugerir correcção