Jim Kalligas/Unsplash
Foto
Jim Kalligas/Unsplash

Prendas de Natal que ajudam animais (e surpreendem quem gosta deles)

Fizemos uma lista de prendas para dar a quem gosta de animais — que, ao mesmo tempo, também os ajudam a eles. E eles são cães e gatos, mas também animais selvagens e associações que lutam para os conservar. Há até uma ideia para quem se deixa fascinar por insectos.

Quem luta pela protecção e bem-estar animal sabe que não há dias de descanso. O que não quer dizer que não tenha de saber a quantas anda. Por isso é que as primeiras sugestões são um clássico natalício: agendas e calendários solidários.

Estes que aqui deixamos são todos protagonizados por animais — afinal, esta lista é uma prenda também para eles. Já em Setembro tínhamos falado do lançamento do calendário e da agenda da Animais de Rua, associação com vários pólos a nível nacional que se dedica ao controlo populacional de animais errantes, através do método CED (capturar, esterilizar e devolver).

PÚBLICO -
Foto
O calendário com uma ovelha que vive na Quinta das Águias, uma santuário para animais em Paredes de Coura

Para começar 2019 com o pé e a pata direita, a Animais de Rua e o santuário Quinta das Águias, em Paredes de Coura, juntaram várias caras conhecidas com focinhos desconhecidos que podem ser adoptados. O calendário e a agenda estão à venda na loja online por oito euros e as receitas angariadas revertem a favor das duas associações.

PÚBLICO -
Foto
A agenda solidária do atelier abc

Também o atelier abc voltou a editar uma agenda solidária (10 euros ou 15 euros, dependendo do tamanho) em que cada mês é ilustrado por um animal convidado. Além dos 10% que vão ser doados a cinco instituições — Ajuda a Alimentar Cães, Centro de Recuperação do Lobo Ibérico, Pata Ativa Associação, Projeto Patas Açores e Sociedade Protectora dos Animais do Porto — cada partilha da agenda no Facebook equivale a uma taça de ração de 50 gramas para o Cantinho dos Animais. Quantos dos teus amigos que também são amigos dos animais é que estão nesta rede social mesmo?

 

Se o que procuras é um calendário para uma dog person que também goste de fotografia e design, a sugestão pode ladrar em inglês. No calendário editado pela The Gourmand, só entram cães com "nomes culinários", como o Basil ou o Brie, num cenário que simboliza esse alimento. O calendário está disponível por 17 euros (15 libras) no site oficial da revista e o valor reverte a favor da Mayhew, uma associação londrina de protecção animal.

PÚBLICO -
Foto
O calendário editado pela The Gourmand onde só entram cães com "nomes culinários"

Deixamos agora os animais de companhia e passamos para os selvagens, que, apesar de não poderes ter em casa, podes apadrinhar. Falamos de águias-de-asa-redonda, peneireiros-vulgares, milhafres-pretos, corujas-das-torres (para fãs do Harry Potter), ouriços-cacheiros e outras aves que o CERVAS (Gouveia) e o RIAS (Olhão), dois centros de recuperação de fauna selvagem, mantêm debaixo de olho. Quem os apadrinhar receberá o "presente original e solidário" que é "assistir à devolução à Natureza do animal", se tal for possível, "no final do processo de recuperação”. E, claro, um certificado de padrinho/madrinha e uma fotografia do “afilhado”. Existem três modalidades de apadrinhamento, que vão dos 15 aos 35 euros.

O mesmo propõe a Associação para o Estudo e Protecção do Gado Asinino (AEPGA), há já 15 anos. A associação sem fins lucrativos já conta com 1200 pessoas que aderiram à campanha de apadrinhamento de um burro de Miranda, uma espécie autóctone portuguesa. O custo mínimo é de 30 euros e, dependendo do valor doado, além do certificado poderás receber um burro de peluche, um íman ou um caderno. A AEPGA disponibiliza a lista de nomes e características de cada um dos animais para escolheres o que mais se adapta à pessoa que queres presentear. E não te esqueças de escrever o porquê da tua escolha no envelope que vais entregar.

Depois de cães e gatos, animais selvagens e burros mirandeses, chegamos agora a um grupo que grande parte das pessoas preferiria nunca ver, quanto mais apadrinhar ou adoptar. É também esta ideia que o projecto Vaca Loura procura mudar, ao focar-se na preservação de escaravelhos. Mais precisamente na vaca-loura, “um símbolo das florestas nativas em Portugal”. Para continuarem a fazer este trabalho, lançaram uma campanha de crowdfunding que a menos de uma semana de terminar ainda não chegou a metade do valor pedido. Há várias opções de contribuição e a cada uma delas equivale, por exemplo, uma árvore plantada, um crachá, um caderno ilustrado, uma t-shirt ou, para os mais generosos, uma saída de campo de dois dias numa zona natural.

PÚBLICO -
Foto
O VACALOURA.pt, projecto de ciência cidadã 100% voluntário, lançou uma campanha de crowdfunding

Para tornar o presente numa experiência ainda mais pessoal, podes sempre oferecer uma anuidade de sócio de uma associação da tua zona ou angariar materiais como camas, coleiras e alimentos para doares em nome da pessoa presenteada. Quiçá se um presente de Natal não faz nascer um voluntário para todo o ano. Ou dois.