Vistos gold: investimento sobe 41% para 77 milhões de euros em Novembro

O investimento dos vistos gold subiu 4% face a Outubro e 41% face a Novembro do ano passado.

Em mais de seis anos de programa, o investimento em imobiliário representou cerca de 3769 milhões de euros
Foto
Em mais de seis anos de programa, o investimento em imobiliário representou cerca de 3769 milhões de euros Daniel Rocha

O investimento resultante da concessão de vistos gold subiu 41% em Novembro, face a igual mês do ano passado, para 77 milhões de euros, de acordo com dados estatísticos do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF).

No mês passado, o investimento captado através de Autorizações de Residência para actividade de Investimento (ARI) totalizou 77.100.876,53 euros, uma subida de 41% face aos 54.589.231,55 euros registados um ano antes.

Relativamente a Outubro, o investimento aumentou 4%.

Em Novembro foram atribuídos 126 vistos dourados, 121 no âmbito da aquisição de bens imóveis (dos quais 13 para reabilitação urbana) e cinco pelo critério de transferência de capital.

Entre Janeiro e Novembro, o investimento captado totalizou 744.188.477,88 euros, uma quebra de 8,5% face aos primeiros 11 meses de 2017, quando o montante ascendeu a 813.685.673,56 euros.

Em mais de seis anos – o programa ARI foi lançado em Outubro de 2012 –, o investimento acumulado totalizou 4.155.454.320,27 euros, com a aquisição de bens imóveis a somar 3.769.059.383,67 euros.

A transferência de capital totalizou 386.394.936,60 euros.

Desde a criação deste instrumento, que visa a captação de investimento, foram atribuídos 6.813 ARI: dois em 2012, 494 em 2013, 1.526 em 2014, 766 em 2015, 1.414 em 2016, 1.351 em 2017 e 1.260 em 2018.

Até Novembro, em termos acumulados, foram atribuídos 6.441 vistos dourados por via da compra de imóveis, dos quais 228 tendo em vista a reabilitação urbana. Por requisito da transferência de capital, os vistos concedidos totalizam 360 e foram atribuídos 12 por via da criação de, pelo menos, 10 postos de trabalho.

Por nacionalidades, a China lidera a atribuição de vistos (4.013), seguida do Brasil (625), Turquia (279), África do Sul (268) e Rússia (237).

Desde o início do programa foram atribuídas 11.579 autorizações de residência a familiares reagrupados, sendo 2.264 este ano.