Deutsche Bank alvo de buscas por suspeitas de lavagem de dinheiro

Dois trabalhadores do banco terão ajudado clientes a esconder dinheiro em paraísos fiscais. Investigação surgiu na sequência da divulgação dos Panama Papers.

Foto
Reuters/KAI PFAFFENBACH

Várias instalações do Deutsche Bank na Alemanha foram alvo de buscas na manhã desta quinta-feira na sequência de uma investigação em curso relacionada com suspeitas de lavagem de dinheiro em paraísos fiscais.

De acordo com a Reuters, que cita um comunicado do Ministério Público alemão, cerca de 170 agentes da polícia, procuradores e investigadores fiscais deslocaram-se a seis dependências do banco situadas em Frankfurt e nos arredores desta cidade e levaram vários documentos em papel e em suporte digital.

A investigação resultou da divulgação dos Panama Papers e lança suspeitas sobre dois funcionários do Deutsche Bank que terão ajudado clientes a criar contas em paraísos fiscais para movimentaram dinheiro resultante de actividades criminais.

O maior banco alemão já confirmou as buscas e assegurou que está a cooperar com as autoridades.

Só em 2016, mais de 900 clientes foram atendidos por uma subsidiária do Deutsche Bank registada nas Ilhas Virgens Britânicas, gerando um volume de 311 milhões de euros, disseram os investigadores citados pela Reuters.

De acordo com a investigação, os funcionários violaram as regras do próprio banco por não terem relatado às autoridades as suspeitas de lavagem de dinheiro relativamente a clientes e empresas estrangeiras envolvidas em esquemas de evasão fiscal.

Esta investigação está a correr separadamente face a uma outra em que o Deutsche Bank também está envolvido e que passa pela lavagem de dinheiro no banco dinamarquês Danske Bank. O Ministério Público da Dinamarca apresentou na quarta-feira acusações preliminares contra o Danske por suposta violação das regras de combate à lavagem de dinheiro do país.