Santander lucrou mais 16% nos primeiros nove meses em Portugal

Resultado líquido de 384,9 milhões impulsionado pela integração do Banif e do Banco Popular.

Foto
LUSA/ANTÓNIO PEDRO SANTOS

Nos primeiros nove meses do ano, o Santander registou um lucro de 384,9 milhões de euros, mais 16% do que o apurado no período anterior. O número foi avançado esta manhã pelo presidente executivo do banco espanhol, António Vieira Monteiro, durante a divulgação das contas.

Vieira Monteiro indicou que a integração do Banif e do Banco Popular contribuiu com 20 milhões para os resultados líquidos.

O banqueiro sublinhou que os depósitos do Santander Portugal (ex-Santander Totta) subiram 21% face a Setembro de 2017, representando 84% dos recursos da instituição financeira, que ascenderam 39,5 mil milhões de euros.

O líder no banco esclareceu ainda que a marca do banco passará a ser a da casa mãe: Banco Santander e a denominação social será Santander Totta. O que significa que os balcões passarão a ter a sinalética de Santander.

No que diz respeito a trabalhadores, o banco espanhol em Portugal registou a saída, entre Dezembro e Outubro, de cerca de 200 pessoas. Em Setembro de 2018 o banco contava, assim, com um total de 6677 trabalhadores.

Crédito a subir

O crédito ascendeu a 41,3 mil milhões de euros, subindo 17,1% em relação ao período homólogo.

A margem financeira totalizou 654,8 milhões de euros, o que corresponde a um aumento de 26,9% face ao período homólogo enquanto as comissões líquidas ascenderam a 277,3 milhões de euros, subindo 11,4% face a Setembro de 2017.

Por seu turno, refere o Santander Totta, os resultados em operações financeiras diminuíram 44,3%, atingindo 54,4 milhões de euros.

O produto bancário e os custos operacionais registaram incrementos anuais de 14,1% e 18,6%, respectivamente, pelo que o rácio de eficiência aumentou 1,8 pontos percentuais, fixando-se em 47,5%. com Lusa