No Ponto: doçaria conventual de Vila do Conde

Regularmente, a Fugas divulga um vídeo novo sobre um doce diferente.

Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria

A presença imponente do edifício do Mosteiro de Santa Clara, em Vila de Conde, não deixa esquecer o passado de riqueza e poder das freiras que ali viveram, e que se julga terem sido grandes doceiras. Embora não haja registo das receitas que faziam, sabemos, por exemplo, que os frades do Mosteiro de Tibães, em Braga, adquiriam vários doces ao poderoso mosteiro vila-condense.

Recentemente, a Santa Casa da Misericórdia de Vila do Conde resolveu reinventar este património doceiro e passou a servir um conjunto de doces de tipo conventual no seu salão de chá Sonho Doce. Entre estes manjares de ovos, açúcar e frutos secos, temos o lambareiro, o vila-condense, o queque de chila, o pastel de nata conventual e a tigelinha de freira.

A Doçaria Portuguesa

Cristina Castro criou o projecto No Ponto para registar e dar a conhecer os doces do país. Tem vindo a publicar a colecção A Doçaria Portuguesa, "os mais completos livros sobre a história e actualidade dos doces de Portugal". A investigação para este trabalho levou a autora a viajar por todos os concelhos em busca de especialidades doceiras. A partir da oportunidade de ver como se faz, de falar com quem produz, de conhecer vidas, histórias e tradições associadas à doçaria, surgiram os vídeos que desvendam um pouco de cada doce. Regularmente, a Fugas revela um vídeo novo sobre um doce diferente.