Actriz pornográfica Stormy Daniels detida durante espectáculo em Ohio

Stormy Daniels foi detida num clube de striptease em Ohio, durante um espectáculo, por se ter deixado tocar por um cliente — acto proíbido pela lei local.

Stormy Daniels e o advogado, Michael Avenatti
Foto
Stormy Daniels e o advogado, Michael Avenatti REUTERS/Brendan Mcdermid

A actriz pornográfica Stormy Daniels, que alegadamente terá sido paga para não falar publicamente sobre os encontros sexuais que manteve com Donald Trump em 2006, foi detida num clube de striptease na noite de quarta-feira. A notícia foi confirmada pelo seu advogado, Michael Avenatti, que afirma tratar-se de uma “emboscada”.

Stephanie Clifford, nome verdadeiro da actriz Stormy Daniels, foi detida por agentes à paisana num clube de striptease em Columbus, no estado do Ohio, por alegadamente ter deixado que um cliente lhe tocasse de forma “não sexual” enquanto estava em palco, contou o advogado Michael Avenatti ao Washington Post.

A lei de Ohio (conhecida como Lei de Defesa da Comunidade) proíbe que bailarinas “nuas ou semi-nuas” sejam tocadas por pessoas fora da família quando actuam em palco.

No Twitter, Avenatti diz tratar-se de uma “emboscada” com “motivações políticas”. “Detiveram-na por supostamente permitir que um cliente lhe tocasse em palco de maneira não sexual. Estão a gozar? Dedicam recursos a operações como esta? Tem de haver prioridades mais importantes”, acrescentou o advogado, num segundo tweet.

O advogado — que não afasta a possibilidade de candidatura à presidência norte-americana em 2020 — espera que Clifford consiga “em breve” sair em liberdade sob fiança, e que seja acusada de um delito menor por deixar-se tocar. 

Stephanie Clifford tem em curso dois processos contra Donald Trump: um pelo “acordo de silêncio” (que Clifford diz nunca ter assinado mas pelo qual terá sido paga) sobre a relação que a actriz pornográfica manteve com o Presidente norte-americano; outro por difamação.

A actriz pornográfica afirma que manteve relações sexuais com Donald Trump entre 2006 e 2007, já depois do actual Presidente se ter casado com Melania. Alegadamente, foi coagida a assinar um contrato que impedia a divulgação do caso.

Apesar de Donald Trump negar a relação com Stormy Daniels, um dos seus advogados, Michael Cohen, admitiu em Fevereiro ter transferido directamente da sua conta pessoal 130 mil dólares (105 mil euros) para manter o silêncio da actriz pornográfica, um pagamento de que Trump nega ter tido conhecimento.