Sonae e CTT criam plataforma para comércio electrónico aberto a outras empresas

Novo projecto será controlado em partes iguais pelas duas empresas e representará um investimento entre 10 e 15 milhões de euros.

Paulo Azevedo, presidente da Sonae, dá maos um passo na diversificação dos negócios.
Foto
Paulo Azevedo, presidente da Sonae, dá maos um passo na diversificação dos negócios. NELSON GARRIDO

A Sonae e os CTT vão avançar com uma parceria na área do comércio electrónico, com vista à exploração de uma nova plataforma em modelo marketplace, uma loja virtual onde outras empresas podem colocar à venda os seus produtos.

Segundo o acordo assinado, a joint-venture visa a constituição de uma sociedade que terá como accionistas a Sonae (50%), empresa com boa parte da sua actividade no comércio de retalho, e os CTT (50%), empresa de distribuição de correio e de encomendas.

“Os dois grupos possuem competências complementares que irão aproveitar na criação de um marketplace que preste serviços integrados de intermediação de relações comerciais entre comerciantes e consumidores”, refere a Sonae em comunicado.

O investimento necessário para a implementação do projecto, que está sujeita a aprovação pelas autoridades da concorrência competentes, será de 10 a 15 milhões de euros nos primeiros anos, repartido em partes iguais entre as duas empresas.

Segundo o comunicado, “a criação do marketplace constitui uma forte aposta no desenvolvimento do comércio electrónico, com foco nas PMEs e marcas portuguesas, através de um posicionamento assente em proximidade, numa experiência de compra simples, segura e conveniente e com uma oferta abrangente de produtos e serviços disponibilizados online por cada vez mais empresas”.

O grupo presidido por Paulo Azevedo, proprietário do PÚBLICO, destaca que a iniciativa é mais um passo na aposta da Sonae na área do comércio electrónico e enquadra-se nos pilares estratégicos do grupo, nomeadamente “reforçar e aproveitar os activos e competências chave e diversificar modelos de negócio e estilos de investimento”.

Em 2017, as vendas online da Sonae totalizaram 100 milhões de euros. No primeiro trimestre do corrente ano, as vendas online da Worten, do retalho alimentar e da marca de roupa Salsa cresceram entre 30% a 40%.