Primeiro restaurante de Berasategui em Portugal nasce a 120 metros de altura (e com Michelin no horizonte)

O chef espanhol esteve em Lisboa para apresentar o Fifty Seconds by Martín Berasategui, com abertura prevista para Outubro no topo da Torre Vasco da Gama, no hotel Myriad by Sana. Não esconde o objectivo: somar em Portugal uma insígnia dourada às oito estrelas Michelin.

Torre
Foto
DR/Sana

Cinquenta segundos é o tempo que o elevador demora a galgar os 120 metros que separam o sopé da Torre Vasco da Gama e as "vistas espectaculares" do novo restaurante do hotel Myriad by Sana, dando nome ao projecto assinado por Martín Berasategui. O chef espanhol com mais estrelas Michelin esteve esta quarta-feira em Lisboa para apresentar o Fifty Seconds by Martín Berasategui, o primeiro restaurante que o basco dirige em território nacional, com abertura prevista para o mês de Outubro.

Com obras ainda a decorrerem no espaço, foi numa sala do hotel que o chef revelou os primeiros pormenores sobre um dos projectos gastronómicos mais aguardados este ano em Lisboa. Com apenas 35 lugares, o novo restaurante pretende ser "um projecto não só para Portugal ou Lisboa, mas para o mundo".

A ementa manterá as raízes vincadas na herança gastronómica de Berasategui, que aos 13 anos começou a trabalhar no restaurante dos pais, em Donostia, no País Basco. "A minha casa era a cozinha", resume às tantas uma infância que cedo se tornou profissão. Mas quer que o projecto tenha igualmente uma "identidade" portuguesa. "Temos obrigação de honrar quem nos recebe", defende.

Sempre que abre um restaurante fora do País Basco, Berasategui diz ter "homenagens" para fazer à cozinha da região onde se instala. "O Lasarte em Barcelona é profundamente catalão, os nossos projectos no México têm especificidades mexicanas." O restaurante lisboeta não será excepção, garante. Até porque acredita que "a gastronomia portuguesa está a viver o melhor momento de sempre" e quer "contribuir" para esse movimento.

Cerca de "90% da equipa" que vai assegurar o funcionamento diário do restaurante é, por isso, constituída por profissionais portugueses. Filipe Carvalho vai assumir o cargo de chef executivo, depois de trabalhar como sous-chef no Lasarte, o restaurante de Berasategui em Barcelona galardoado com três estrelas Michelin. No currículo traz passagens pela cozinha do Rio's de António Bóia, pela Fortaleza do Guincho liderada na altura por Vincent Farges, pelo Vila Joya ou pelo Feitoria, de João Rodrigues, entre outros. Já Maria João Gonçalves será a chef pasteleira do Fifty Seconds. Também vem do Lasarte, depois de ter iniciado a carreira ao lado de Paulo Morais, com percurso profissional no Belcanto, de José Avillez, e no Vila Joya, entre outros. Marc Pinto ocupará o cargo de sommelier principal do Fifty Seconds, enquanto Inácio Loureiro será o chefe de sala.

Os produtos utilizados na cozinha também vão ser maioritariamente nacionais. "Portugal é um templo de matéria-prima", defendeu Berasategui, argumentando não fazer sentido importar ingredientes. "O talento pode viajar, mas os produtos não precisam", reitera. Sobre os pratos que vão constar na ementa, no entanto, o chef basco ainda pouco ou nada desvendou, garantindo apenas que, entre o menu de degustação e as opções à carta, vão estar alguns dos seus pratos de autor mais conhecidos – como o mil-folhas de enguia fumada, foie gras e maçã verde – mas também novas criações.

O objectivo principal para o novo projecto: "fazer o que fizemos até agora", "desfrutar e dar o nosso melhor". Mas não esconde a vontade de conquistar uma estrela Michelin em Lisboa. "Se nos derem uma, óptimo, se não nos derem, temos de continuar a desfrutar e a trabalhar até consegui-la." Berasategui é actualmente o chef espanhol com mais estrelas Michelin: soma três insígnias douradas no restaurante homónimo em Lasarte-Oria, mais três no restaurante Lasarte, no Monument Hotel de Barcelona, e duas no MB, restaurante do Ritz-Carlton Abama, em Tenerife.

O novo restaurante integra um investimento de três milhões que o grupo Sana fez na recuperação da Torre Vasco da Gama, que contará com um miradouro aberto ao público, sem data prevista de inauguração.