Balmain vestiu Beyoncé para o espectáculo em Coachella

Olivier Rousteing vestiu a cantora e quem apareceu em palco, incluindo 200 bailarinos.

Fotogaleria
Larry Busacca/Getty Images
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria

Tudo começou quando a designer e conselheira de moda de Beyoncé, Marni Senofonte, depois de ver o desfile de Outono da casa Balmain, dirigiu-se ao designer Olivier Rousteing com uma proposta. Marni procurava alguém que fizesse o guarda-roupa para o próximo espectáculo de Beyoncé. O resultado final foi visto no sábado à noite, no festival californiano de Coachella.

"Marni disse-me que o espectáculo era sobre sobreviventes e que B [é assim que o designer trata Beyoncé] procurava algo de estilo militar", conta Rousteing à Vogue britânica. Senofonte, ao ver a proposta da Balmain na passerelle, sentiu que tudo se encaixava. 

Rousteing trabalhou directamente com a designer de Beyoncé e a sua equipa para criar dois guarda-roupas personalizados – um para este sábado e outro para o próximo. Não foi um trabalho fácil, uma vez que tiveram poucas semanas para conseguir desenhar e fazer todo o guarda-roupa. Foi quase como se ele e Marni estivessem numa relação, um nos EUA e outro na Europa, brinca: “Íamos para a cama enviando mensagens de texto e e-mails, um para o outro, e acordávamos fazendo o mesmo.”

Além da cantora, o director criativo da Balmain também vestiu os 200 bailarinos em palco, assim como Kelly Rowland e Michelle Williams – que se reencontraram com Beyoncé para um momento de recordação das Destiny's Child, a girls band onde tudo começou.

PÚBLICO -
Foto

Rousteing criou a capa de inspiração egípcia, preta com desenhos em ouro, assim como uma jaqueta preta; um camisolão amarelo com ar colegial com “BAE” escrito no peito, um fato de camuflado e um vestido de malha. 

Depois de a roupa estar feita, Rousteing viajou até Los Angeles para assistir aos ensaios e para se certificar que as roupas se adequavam às coreografias, assim como para confirmar que as mudanças de roupa eram feitas sem precalços. "B é um perfeccionista", adjectiva o designer Rousteing. “Ela tem uma visão tão distinta para a moda e para a sua música, aprendi muito com esta experiência e com o trabalho dela naqueles ensaios.”