FBI faz buscas a escritório e casa de advogado de Trump

Em causa pode estar uma possível fraude bancária no financiamento da campanha presidencial de Donald Trump.

Michael Cohen é um dos advogados de Donald Trump
Foto
Michael Cohen é um dos advogados de Donald Trump Reuters/Jonathan Ernst

A polícia federal norte-americana fez buscas nesta segunda-feira ao escritório e casa do advogado de longa data de Donald Trump, Michael D. Cohen. De acordo com o New York Times, que avança a notícia, entre os documentos confiscados pelo FBI estão pagamentos a actrizes pornográficas.

Os procuradores federais de Manhattan avançaram com a investigação depois de receberem a indicação de procuradores de Nova Iorque. De acordo com o advogado de Michael Cohen, os procuradores nova-iorquinos terão seguido informações fornecidas pelo procurador especial Robert Mueller, o responsável que lidera o inquérito à alegada interferência russa nas eleições norte-americanas. 

Acrescenta o Washington Post, que cita uma fonte próxima do processo não identificada, que Cohen está a ser investigado por possível fraude bancária no financiamento da campanha presidencial de Trump. Lembra o mesmo jornal que Cohen não esteve formalmente ligado à campanha presidencial, mas, enquanto advogado de Trump há mais de uma década, manteve uma relação próxima com a família Trump durante a candidatura e período de transição.

Stephen Ryan, advogado de Cohen, considera as buscas ao seu cliente "completamente inapropriadas e desnecessárias". Entre os "milhares de documentos" fornecidos ao FBI estão e-mails, contratos e declarações de impostos.

Donald Trump também já reagiu a estas buscas, que considerou uma “situação vergonhosa” e uma “caça às bruxas”: “É um ataque ao nosso país”.

Questionado sobre se vai demitir Mueller, Trump respondeu. “Bem, penso que o que se está a passar é uma vergonha. Vamos ver o que acontece”.

Conta a CNN que a firma de advogados, a Squire Patton Boggs, onde Michael Cohen tinha o seu escritório em Nova Iorque já terá, entretanto, rompido as ligações contratuais com o advogado de Trump. Um porta-voz da empresa de advogados garante que as buscas não estão relacionadas com a empresa e acrescenta que estão a colaborar com as autoridades.

Em Fevereiro, Michael Cohen assumiu a responsabilidade por um dos escândalos que tem afectado Donald Trump. Cohen afirmou ter pago do seu próprio bolso 130 mil dólares (105 mil euros) à actriz pornográfica Stormy Daniels, que alegadamente terá tido relações sexuais com o milionário antes de este ser eleito Presidente, mas já depois de estar casado com Melania.