Cascais doa ovinos, brinquedos e materiais a Pampilhosa da Serra

Empresas e cidadãos responderam ao apelo de solidariedade do município que entregou agora os bens à população deste concelho de Coimbra que foi afectado pelos incêndios florestais do ano passado.

Foto
Daniel Rocha

Ovelhas, além de brinquedos e materiais de construção, foram esta quarta-feira entregues à população da Pampilhosa da Serra como ajuda do município de Cascais à reposição da normalidade neste concelho devastado pelos incêndios de 2017.

Os ovinos – um carneiro, 25 ovelhas e três borregos – e as outras doações foram transportados em dois camiões, entre os dois concelhos, e confiados à Câmara Municipal da Pampilhosa da Serra.

Em declarações à agência Lusa, o presidente da câmara de Cascais, Carlos Carreiras, disse que, nos últimos meses, “esta é a terceira doação” àquele município do distrito de Coimbra afectado pelos incêndios florestais de 2017.

O social-democrata Carlos Carreiras adiantou que estas iniciativas da câmara a que preside, no distrito de Lisboa, vão culminar na geminação dos dois municípios amigos, ainda este ano, após a discussão e provável aprovação pelos dois executivos e assembleias municipais.

Os donativos e a anunciada geminação são assumidos pelos proponentes, Carlos Carreiras e o seu homólogo José Brito, como um caminho “para não deixar apagar uma centelha de esperança” no futuro e de solidariedade com as vítimas dos fogos.

Trata-se de mais “um pequeno passo, absolutamente fundamental”, no âmbito do esforço colectivo que visa assegurar “a sobrevivência das aldeias” da Pampilhosa da Serra, dispersas numa zona montanhosa do Interior, uma das mais atingidas pelos incêndios nas últimas décadas.

Além dos pequenos ruminantes, cuja oferta visa “auxiliar as pequenas economias familiares e os pequenos produtores”, segundo a autarquia de Cascais, foram descarregadas sete paletes de tijolos e quatro de cimento, para apoiar a reconstrução dos denominados imóveis de segunda habitação.

Foram também entregues 15 caixotes com 275 brinquedos, reunidos por empresas e entidades do município doador.

Este “abraço solidário” de Cascais suscita “uma enorme gratidão” da população da Pampilhosa da Serra, disse à Lusa José Brito, que cumpre um terceiro e último mandato na liderança da câmara. “É importante que as pessoas comecem a recriar a sua vida normal”, sublinhou. 

O autarca do PSD salientou que os materiais de construção doados pela autarquia de Cascais destinam-se à recuperação de casas de segunda habitação.

A reconstrução destes edifícios afectados pelos fogos não beneficiam ainda de apoios do Estado, no entanto, carece de ajuda, já que se trata de residências “fundamentais para alavancar” a economia local, propriedade de famílias com raízes locais que vivem maioritariamente na zona de Lisboa e que revisitam a terra natal várias vezes ao longo do ano.

As doações concretizadas são resultado de uma campanha de solidariedade da câmara de Cascais, sob o lema “Cascais mais solidária: com a alma no litoral e o interior no coração de Portugal”, em que participaram empresas e cidadãos.