Sexta-feira negra para a bitcoin e outras criptomoedas

Descida de preços acentua-se. A criptomoeda mais popular resvalou para valores de Novembro.

Foto
A bitcoin está em queda desde o início do ano LUSA/SASCHA STEINBACH

Depois de um mês difícil veio um dia negro para os investidores em bitcoins e outras criptomoedas. A tendência negativa dos preços que se fazia sentir desde o início de Janeiro acelerou nos últimos dias, levando a bitcoin a resvalar para baixo da fasquia dos oito mil dólares. É o patamar de preço mais baixo desde Novembro.

A quebra acompanha um avolumar de notícias negativas sobre o mercado das criptomoedas, bem como sucessivos alertas de economistas que as consideram uma bolha especulativa. A descida desta sexta-feira acontece também num dia em que os mercados financeiros internacionais estão no vermelho. Entre vários outros factores, estão também a ser arrastados pelos investidores e analistas desiludidos com os resultados apresentados pela Apple (que bateu recordes de receitas, mas vendeu menos iPhones) e pela Alphabet (o grupo dono do Google, cujas receitas cresceram, mas cujos lucros diminuíram devido a custos extraordinários).

Durante a manhã, as criptomoedas afundaram-se. Às 12h40 a bitcoin valia 7857 dólares, de acordo com o site CoinMarketCap, que agrega preços de várias bolsas onde criptomoedas são transaccionadas (o preço tende a variar significativamente nas diversas bolsas). Aquele valor significava uma queda de 17% nas 24 horas anteriores. O ethereum, a segunda criptomoeda mais popular, valia cerca de 780 dólares (uma queda de 31% em 24 horas). Já o ripple, que deve o interesse recente ao facto de querer ser uma plataforma para transferências entre bancos, ficava-se pelos 64 cêntimos de dólar, o que se traduzia numa derrocada de 38% em 24 horas.À

À tarde, o mercado recuperou, com a bitcoin a rondar os 8600 dólares às 19h07. As outras moedas também subiram: o ethereum valia 879 dólares e o ripple, 83 cêntimos de dólar. As três chegaram ao final da semana a valer menos do que no início e todas estão muito distantes dos picos recentes. Os preços das restantes centenas de criptomoedas, a maioria das quais é desconhecida fora da comunidade de entusiastas, também estão em queda.

Nesta sexta-feira, o reputado economista Nouriel Roubini voltou a tecer críticas duras à bitcoin. Numa entrevista à agência Bloomberg, classificou a criptomoeda como “uma fraude” e afirmou que a bolha das bitcoins é maior do qualquer bolha financeira da História. “Está a caminho do zero. O valor fundamental da bitcoin é zero”, disse.

Os últimos desenvolvimentos não têm ajudado à confiança dos investidores. Esta semana, a Coreia do Sul começou a obrigar os investidores a identificarem-se com uma conta bancária, para evitar actividades ilegais e especulação. A China já tomou medidas para proibir as transacções. As suspeitas de que uma moeda chamada tether foi usada fraudulentamente para manipular o preço de bitcoins chegou às autoridades americanas, que estão a investigar o caso. Uma bolsa no Japão foi alvo de um roubo de cerca de 530 milhões de dólares numa criptomoeda pouco conhecida chamada NEM. O Governo indiano afirmou que vai apertar o cerco às actividades ilegais que recorrem a criptomoedas, numa afirmação que acabou por ser interpretada em alguma da imprensa local como um anúncio de probição das bitcoins.

Esta não é a primeira vez que a bitcoin sofre quedas abruptas, mas o número de investidores e o dinheiro investido são muito maiores do que em anos anteriores. Ao longo de 2017, as criptomoedas ganharam uma grande popularidade e foram vistas (em particular, por investidores mais jovens e propensos ao risco) como uma forma rápida de fazer dinheiro. Em Dezembro, a bitcoin rondou os 20 mil dólares, cerca de 20 vezes mais do que valia 12 meses antes.

"Investi um pouco no início de Janeiro e estou a ter agora perdas de mais de 70%", admitiu um investidor num fórum online, que encontrou um aspecto positivo na descida: "Na verdade, estou a divertir-me um pouco com esta queda. Nunca tinha investido em algo que tivesse caído tão depressa. É mau que eu esteja a gostar disto?"