Síntese

O que sabemos até agora sobre o incêndio de Tondela

O incêndio que deflagrou na noite de sábado na associação recreativa de Vila Nova da Rainha, em Tondela, fez oito mortos e pelo menos 36 feridos.

Foto
A Polícia Judiciária está a investigar Sérgio Azenha

Incêndio

  • As chamas deflagraram pouco antes das 21h de sábado, no andar superior da Associação Cultural, Recreativa e Humanitária de Vila Nova da Rainha, onde decorria um torneio de sueca.
  • O site da Protecção Civil regista a ocorrência na freguesia de Mouraz e Vila Nova da Rainha às 20h51 como sendo “incêndio urbano” em “espectáculos e reuniões”, que ainda se encontra como estando "em resolução".
  • No local terão estado 241 operacionais de diversas corporações da região de Viseu.
  • Vila Nova da Rainha é uma localidade da freguesia de Mouraz e Vila Nova da Rainha, no concelho de Tondela, distrito de Viseu.

Vítimas

  • As chamas e o fumo provocaram oito mortos e pelo menos 38 feridos. O Ministério da Saúde anunciou que no local foram triadas 46 vítimas, oito delas mortais.
  • Dos oito mortos, está confirmado que quatro são habitantes de Vila Nova da Rainha. Trata-se de três homens e uma mulher, o mais novo com 56 anos e os restantes acima dos 60 anos. Três vítimas mortais são de freguesias próximas e uma outra de Santa Comba Dão.
  • Há 29 vítimas ainda internadas, dos quais pelo menos quatro feridos correm risco de vida, admite o director do Centro Hospitalar de Tondela-Viseu.
  • As principais patologias são queimaduras na cabeça, braços e tronco.
  • Os feridos estão internados em Viseu (13) e outros 16 foram transferidos durante a noite para Coimbra (seis), Porto (dois para o Hospital de Santo António; três para o São João; e um para a Prelada que está com prognóstico reservado), e Lisboa (dois para Santa Maria, dois para São Francisco Xavier e uma adolescente para o Dona Estefânia).
  • A vítima adolescente de 15 anos é uma rapariga que saiu consciente da associação. Foi transportada pela Cruz vermelha para Viseu e transferida para Lisboa. Disse que tentou saltar pelas escadas para fugir e queixava-se de dores na garganta.
  • Uma das vítimas é uma mulher de 52 anos que participava no torneio e as outras já identificadas são três homens.
  • Já tiveram alta nove feridos (quatro estavam internados no hospital de Tondela).
  • No local estiveram 70 elementos e 36 meios operacionais do INEM, entre os quais seis VMER (viaturas médicas de emergência e reanimação), seis ambulâncias de emergência médica, quatro unidades de psicologia, e quatro helicópteros (dois deles são da Força Aérea).
  • Os corpos foram transferidos para o Instituto de Medicina Legal de Coimbra.

Como aconteceu

  • Não há ainda explicações oficiais das autoridades.
  • Além da Protecção Civil e da GNR, esteve no local a Polícia Judiciária a fazer perícias técnicas.
  • Segundo testemunhas que estavam no edifício, o calor da chaminé de uma salamandra terá incendiado o revestimento do tecto falso que acabou por desabar sobre as dezenas de pessoas que enchiam a sala onde decorria o jantar e o torneio de sueca.
  • Na tentativa de fugirem, muitas correram escada abaixo mas foram barradas por uma porta directa para a rua que só abre para o interior. Com o pânico, boa parte das pessoas não se apercebeu que havia uma outra porta para a sala do rés-do-chão.
  • Houve quem caísse, o que complicou a situação.
  • A porta da rua acabou por ser arrancada com a ajuda de um jipe e cordas por quem estava na rua. O primeiro andar tem agora as janelas partidas e há marcas de fuligem a sair delas.