Torne-se perito

Triunfo de Berlusconi na Sicília abre-lhe a porta da política italiana

Naquelas que são vistas como o ensaio para as legislativas, Berlusconi bateu o 5 Estrelas - e diz que Renzi não é o candidato certo para enfrentar o partido populista.

Foto
Reuters/ANTONIO PARRINELLO

Vistas como uma espécie de ensaio geral para as legislativas, em Maio, as eleições regionais deste domingo na Sicília tinham como grandes protagonistas a aliança de direita liderada por Silvio Berlusconi e o partido populista Movimento 5 Estrelas. Depois de cerca de 16 horas de contagem dos votos, venceu o candidato da direita, Nello Musumeci, com 39,8% dos votos remetendo para o segundo lugar o candidato do partido liderado por Beppe Grillo, Giancarlo Cancelleri, com 34,7%.

Estes resultados traduzem-se, também, numa derrota para o actual primeiro-ministro italiano, Paolo Gentiloni, já que o seu Partido Democrata fazia parte da coligação que liderava os destinos da região, tendo o seu candidato, Fabrizio Micari, sido remetido para a terceira posição, com apenas 18,7% dos votos. Este era já um desfecho esperado e um desaire para o líder do PD, Matteo Renzi.

“A Sicília, tal como pedi, escolheu o caminho da mudança real, séria, construtiva, baseada na honestidade, competência e experiência”, afirmou Berlusconi num vídeo publicado no Facebook. Espera utilizar estes resultados como rampa de lançamento para o seu regresso à política italiana depois de sucessivos escândalos e processos judiciais em que se viu envolvido nos últimos anos.

Estas eleições na Sicília são consideradas a melhor forma de previsão das eleições legislativas, marcadas para Maio de 2018. A Sicília é considerada um microcosmos da Itália: enfrenta os problemas que mais influenciam os eleitores a nível nacional, como o elevado desemprego, a dívida cada vez maior e o fluxo de imigrantes. Basta recuar alguns anos para se perceber o paralelismo eleitoral. Em 2012, o partido de Berlusconi sofreu uma derrota na Sicília que veio a repetir-se, cinco meses mais tarde, nas legislativas, colocando um ponto final no Governo do empresário.

Berlusconi enfrentou então vários processos de que foi absolvido ou de que recorreu. Mas acabou por ver uma condenação por fraude fiscal confirmada pelo Supremo em 2013.

Mas esta batalha eleitoral na Sicília foi também uma luta contra a ascensão do 5 Estrelas (populista). “A vitória de Musumeci é a vitória dos moderados, dos cidadãos que acreditam num futuro melhor”, disse Berlusconi no vídeo no Facebook em que festejou a vitória. “Impedimos a Sicília de cair nas mãos do 5 Estrelas, de pessoas que nunca trabalharam”.

O antigo primeiro-ministro de 81 anos perspectiva já o seu futuro político: “Este é o grande aspecto político destas eleições, que depois se reflectem nas nacionais: na Sicília, como em Itália, a opção é entre nós ou o 5 Estrelas”.

Berlusconi diz que “o falhanço da experiência governativa regional e nacional do Partido Democrata” deixa claro que o partido de Renzi não é um “competidor credível” contra o 5 Estrelas.

Sugerir correcção