Governo aumenta para 30 o número de bolsas para alunos universitários ciganos

Programa já distribuiu 25 bolsas no ano lectivo passado.

"Temos de motivar mais jovens, homens e mulheres da comunidade [cigana], a ter orgulho em aceder ao ensino superior", defendeu Eduardo Cabrita
Foto
"Temos de motivar mais jovens, homens e mulheres da comunidade [cigana], a ter orgulho em aceder ao ensino superior", defendeu Eduardo Cabrita Daniel Rocha

O Governo vai aumentar de 25 para 30 o número de bolsas de estudo para alunos universitários ciganos, anunciou nesta quarta-feira o ministro-Adjunto Eduardo Cabrita, no âmbito do programa "Opre", uma medida "histórica" que permitiu "rasgar mentalidades".

O anúncio foi feito o decorrer de uma cerimónia onde foi feito o balanço da primeira edição do "Opre" (Programa Operacional para a Promoção da Educação), que atribui bolsas de estudo a alunos ciganos para o ensino superior.

Na primeira edição deste programa, para o ano lectivo 2016/2017, o Governo atribuiu 25 bolsas de estudo, número que irá aumentar para 30 no próximo ano letivo, anunciou Eduardo Cabrita, que gostaria "de ter não 30, mas 300 candidaturas", já que o problema não está no financiamento destas bolsas.

"Temos de motivar mais jovens, homens e mulheres da comunidade [cigana], a ter orgulho em aceder ao ensino superior", defendeu o governante, sublinhando que "vale a pena estudar".