"It's a match!": Facebook testa nova funcionalidade de encontros parecida com o Tinder

Rede social diz que a ferramenta experimental serve apenas para juntar amigos, mas a funcionalidade denota a inspiração nas plataformas de encontros íntimos.

Foto
Para já, a funcionalidade só está a ser testada em Toronto e na Nova Zelândia Reuters/Regis Duvignau

O Facebook está a testar uma nova funcionalidade – por enquanto, ainda só em Toronto, a maior cidade do Canadá, e na Nova Zelândia – para promover encontros entre utilizadores do Messenger, a aplicação autónoma de conversação da rede social. Ainda que o conceito seja em alguns aspectos semelhante à popular aplicação de encontros Tinder, que visa sobretudo juntar desconhecidos, esta nova ferramenta do Facebook funciona apenas para utilizadores que já sejam amigos na rede social. Trata-se de uma versão experimental, ainda sem nome definido.

A notícia foi avançada pela publicação online Motherboard, pertencente à Vice, e é escrita na primeira pessoa por Jacob Dubé, que narra a sua experiência com aquela ferramenta experimental.

“Enquanto estava a usar o Facebook no meu telemóvel na quarta-feira à noite, deparei-me com uma notificação que dizia ‘[Nome de um amigo] e 15 outros podem querer encontrar-se contigo esta semana”, conta o jornalista. Ao carregar na ligação, era aberta uma página com fotografias dos amigos do Facebook, em que se perguntava se se queria encontrar com cada um deles, separadamente, durante a semana.

O mecanismo de resposta é parecido com o do Tinder, só que em vez de se deslizar uma fotografia de perfil para a esquerda ou para a direita, os utilizadores carregam em “sim” ou em “não”. A não ser que ambos carreguem em “sim”, a resposta é confidencial.

À Motherboard, uma responsável do Facebook explicou que o objectivo não é necessariamente facilitar encontros íntimos, recusando a comparação com a ferramenta de engates.

“O Facebook é usado para fazer planos com os amigos”, disse uma porta-voz da rede social. “Por isso estamos a fazer um pequeno teste na aplicação do Facebook para tornar isso mais fácil. E aguardamos ansiosamente o feedback dos utilizadores”, acrescentou ainda.

Tinderesca ou não, esta funcionalidade parece ser mais um caso em que o Facebook se foi inspirar noutras plataformas. Já tinha sido exemplo disso o Stories, uma ferramenta que foi criada e popularizada no rival Snapchat e foi posteriormente utilizada pelo Instagram, e que agora faz também parte da aplicação de conversação do Facebook — as “histórias” são fotografias ou vídeos que desaparecem 24 horas depois de serem publicadas.

Não é também a primeira vez que os universos das plataformas de encontros e das redes sociais se cruzam. Um exemplo recente é o relançamento da aplicação Loveflutter, que tem como premissa unir potenciais pares românticos com base nas mensagens que publicam no Twitter, em vez de recorrer apenas a imagens e pequenas descrições textuais.