GNR resgata 60 migrantes no Egeu

Em meio ano, a força portuguesa destacada na Grécia resgatou 890 pessoas. Mais de um terço são crianças.

O mar Egeu é uma das rotas de fuga da guerra e da miséria para milhares de cidadãos africanos e do Médio Oriente
Foto
O mar Egeu é uma das rotas de fuga da guerra e da miséria para milhares de cidadãos africanos e do Médio Oriente ARIS MESSINIS

A GNR anunciou neste sábado que militares da sua Unidade de Controlo Costeiro (UCC) destacados na ilha de Kastellorizo, na Grécia, resgataram na sexta-feira, no mar Egeu, 60 pessoas, entre as quais 31 crianças.

Segundo um comunicado divulgado pela Guarda Nacional Republicana (GNR), 41 dos resgatados eram provenientes do Iraque, 14 do Kuwait e cinco da Síria.

“A bordo da embarcação [de onde foram resgatadas as 60 pessoas] ia, também, um iraquiano que acabou por ser detido pelas autoridades locais, por facilitar a imigração ilegal”, adiantou a GNR, acrescentando que a missão dos seus elementos ocorreu no âmbito da missão da Agência Europeia de Fronteiras e Guarda Costeira (FRONTEX).

O resgate ocorreu “durante uma acção de patrulhamento marítimo, quando os militares detectaram os migrantes, num barco de borracha à deriva e sem condições, no mar Egeu. Foram transportados para a embarcação portuguesa em segurança, e encaminhados para as autoridades helénicas”, adiantou a Guarda.

Desde 1 de Março, a força portuguesa destacada em Samos e Kastellorizo já resgatou 890 migrantes, entre os quais 367 crianças.