Ataques na Catalunha: o que sabemos e o que não sabemos

Um ponto da situação sobre os ataques que fizeram pelo menos 13 mortos na capital da Catalunha e um em Cambrils. Uma portuguesa foi morta na Rambla e outra está desaparecida.

Foto
O Daesh reivindicou o ataque EPA/Andreu Dalmau

O que sabemos

  • Uma carrinha branca atropelou várias pessoas no centro de Barcelona, cerca das 17h locais (16h de Lisboa) de quinta-feira. O veículo entrou pela Praça da Catalunha e seguiu para a zona central da Rambla, exclusiva para peões, e percorreu centenas de metros (530m segundo o El País, 700m segundo o La Vanguardia);
  • Já na madrugada de sexta-feira, em Cambrils (a cerca de 120 quilómetros de Barcelona), a polícia abateu a tiro cinco presumíveis terroristas (inicialmente eram quatro mas um deles, que tinha ficado ferido, acabou por morrer). Os atacantes tentaram galgar o passeio marítimo com uma carrinha.
  • O Governo catalão confirmou que o atentado em Barcelona provocou 13 mortos e mais de 130 feridos; O ataque de Cambrils resultou numa vítima mortal e quatro feridos.
  • Entre as vítimas mortais de Barcelona há uma mulher portuguesa nascida em 1943; Há ainda uma portuguesa de 20 anos desaparecida, que segundo a RTP seria neta da mulher que morreu.
  • A polícia catalã classificou o sucedido como um "ataque terrorista"; Mais tarde, o atentado foi reivindicado pelo Daesh;
  • A carrinha foi alugada em nome de Driss Oukabir. O veículo foi alugado na localidade de Santa Perpetua de la Mogada (a cerca de 20 quilómetros de Barcelona) segundo fontes da Guardia Civil, citadas pelo El País;
  • Um homem que trazia consigo a documentação de Driss Oukabir foi detido horas depois do ataque. No entanto, o La Vanguardia noticia que um homem dizendo ser Driss Oukabir se apresentou na esquadra nesta quinta-feira e se queixou de roubo de identidade. Há suspeitas de que um dos autores do ataque seja o irmão de Driss, Moussa Oukabir, que vive em Barcelona e está em fuga, sendo procurado pela polícia;
  • A polícia anunciou que encontrou um passaporte espanhol no interior da carrinha que atropelou as pessoas;
  • Um outro homem, que escapou a um controlo policial à saída de Barcelona, foi localizado sem vida num carro, em Sant Just Desvern, nos arredores de Barcelona. Segundo a policia catalã, para já, o homem não terá ligação com o atentado;
  • Há, para já, quatro detidos, mas não foram divulgadas as identidades. Dos quatro, dois foram detidos na quinta-feira e os outros dois na sexta-feira; Nenhum deles é o condutor da carrinha;
  • A polícia refere que o atentado está relacionado com a explosão de uma casa, em Alcanar, na quarta-feira à noite, que provocou a morte a uma pessoa; A explosão envolveu uma série de garrafas de gás butano, pensa-se que o material seria para preparar explosivos para o ataque.
  • O El País refere que o atentado foi organizado por uma célula terrorista de 12 pessoas.
  • Entre os mortos e feridos, há cidadãos de 35 nacionalidades. Há um belga e três alemães entre as vítimas mortais, além da mulher portuguesa; Há vítimas mortais que ainda não foram identificadas;
  • O governo regional da Catalunha decretou três dias de luto;
  • Esta sexta-feira, Espanha está de luto nacional.

O que não sabemos

  • Quantos (e quem) são os autores do ataque;
  • Quantos feridos e vítimas mortais são portugueses;
  • A nacionalidade de todas as vítimas;
  • Quem fazia parte da célula terrorista e como foi planeado.