Driss Oukabir, suspeito do ataque em Barcelona ou vítima de roubo de identidade?

Um dos dois suspeitos detidos pela polícia foi inicialmente identificado como Driss Oukabir, um homem de 28 anos. Mas, mais tarde, um homem com o mesmo nome que estava a cem quilómetros do local do atropelamento dirigiu-se à polícia referindo que lhe tinha sido roubada a identificação.

Foto
A fotografia do suspeito (que afinal pode não ser suspeito) divulgada pela polícia EPA/Polícia Espanhola

Um homem foi detido pela polícia espanhola por ser um dos principais suspeitos do ataque terrorista em Barcelona, reivindicado pelo Daesh, nesta quinta-feira, quando uma carrinha atropelou vários transeuntes, provocando 13 mortos e mais de 100 feridos. Mas não se sabe ao certo qual a identidade do detido: inicialmente, fontes policiais citadas pela imprensa espanhola referiram que o suspeito era Driss Oukabir, de 28 anos; agora, o jornal La Vanguardia noticia que um homem chamado Driss Oukabir Soprano se apresentou numa esquadra em Girona, afirmando que lhe tinha sido roubada a documentação.

O homem explicou aos agentes da esquadra de Ripoll (a cerca de 100 quilómetros de Barcelona) que viu a sua fotografia difundida pelos meios de comunicação social e, por isso, se dirigiu aos polícias. O jornal adianta que agora se suspeita que por trás do ataque possa estar o seu irmão, Moussa Oukabir — que tem 18 anos e vive em Barcelona.

Driss Oukabir nasceu em Marrocos (Aghbala, 1989), reside em Espanha e tem nacionalidade francesa, segundo o La Vanguardia. Segundo a informação divulgada inicialmente pela Guardia Civil espanhola, foi Oukabir quem alugou — na localidade de Santa Perpetua de la Mogada, a cerca de 20 quilómetros de Barcelona — a carrinha utilizada no atropelamento, o que fez com que as autoridades partilhassem uma fotografia correspondente ao nome identificado.

O suspeito já se encontrava identificado pela polícia por ter passado algum tempo na prisão de Figueres, em Girona, de onde saiu em 2012, escreve o El País. O jornal adianta ainda, citando fontes do departamento de combate ao terrorismo, que Oukabir chegou a Barcelona, vindo de Marrocos, no passado dia 13. As autoridades estão também a investigar quais as ligações e contactos feitos pelo suspeito com outras pessoas.

No meio da confusão, a polícia catalã apenas confirmou oficialmente que duas pessoas foram detidas na sequência do ataque.

Durante a tarde desta quinta-feira, o El País referiu que tinha sido encontrado um passaporte espanhol dentro da carrinha utilizada no atropelamento, que corresponderia a Driss Oukabir. Um perfil do Facebook que pertenceria ao suspeito detido foi eliminado após vários insultos publicados na página por utilizadores espanhóis.