Sobe para 60 o número de detidos por suspeita de incêndio florestal

Judiciária deteve mais quatro pessoas suspeitas de atear fogo a áreas florestais em Famalicão, Paços de Ferreira, Gouveia e Viana do Castelo. Duas delas estavam num "aparente quadro de embriaguez", detectaram as autoridades.

Foto
LUSA/NUNO ANDRÉ FERREIRA

A Polícia Judiciária (PJ) deteve mais quatro pessoas suspeitas de atear fogo a áreas florestais em Famalicão, Paços de Ferreira, Gouveia e Viana do Castelo, informou em comunicado. Só este ano foram detidas 60 pessoas por suspeita do crime de incêndio florestal em Portugal.

Detido em Vila Nova de Famalicão, um homem de 45 anos, operário fabril, é suspeito de ter ateado fogo a uma zona florestal, em Calendário, contígua a zona urbana e industrial, recorrendo a um papel em chamas. Segundo a PJ, o homem encontrava-se “num aparente quadro de embriaguez”. O incêndio consumiu mato e arvoredo e pôs em risco algumas habitações.

A PJ e a GNR de Freamunde detiveram o presumível autor de um incêndio florestal de Passos de Ferreira que chegou a colocar habitações daquela localidade em risco. O suspeito, marceneiro de 43 anos, terá ateado fogo usando um isqueiro, apresentando-se num “aparente quadro de embriaguez”, dizem as autoridades.

Foi ainda detido um homem de 41 anos, sem profissão definida, acusado de dois crimes de incêndio florestal. A PJ e a GNR de Gouveia encontraram indícios de que este homem terá ateado dois focos de incêndio, a 200 metros de distância um do outro, em pasto e mato no concelho de Gouveia, na noite da última sexta-feira.

Segundo a PJ, o incêndio consumiu pequenas áreas, mas colocou “em perigo várias habitações próximas”.

Em Viana do Castelo, foi detido um homem de 40 anos, desempregado, "pela presumível autoria de um crime de incêndio florestal que consumiu uma área de 50 metros quadrados", segundo o comunicado. O autor terá ateado o fogo usando um isqueiro e "movido por sentimentos de vingança".

Os quatro suspeitos vão ser presentes às autoridades para primeiro interrogatório judicial e aplicação das medidas de coacção.

Já esta segunda-feira, a PJ tinha informado da detenção de outras duas pessoas. Em Vinhais, distrito de Bragança, foi detido um agricultor de 19 anos indicado por fogo posto em Quadra, Tuizelo e, por suspeita de ter ateado um incêndio em Favaios, a Judiciária deteve um homem de 61 anos, sem ocupação laboral.