Crónica

Palavras, expressões e algumas irritações: fúria

Nos últimos dias, deram-se conta de várias “fúrias”, que a psiquiatria define “como designação genérica dos estados de brusca exaltação, em geral colérica, com violentas exteriorizações verbais”. Donald Trump e Kim Jong-un protagonizaram algumas

O dicionário, que tudo sabe, escreve de imediato sobre o substantivo feminino “fúria”: “Acesso violento de agressividade, de agitação.” E logo dá um exemplo: “As fúrias de um louco.” Lembra-se de algum (ou de alguns)?

Nos últimos dias, deram-se conta de várias “fúrias”, que a psiquiatria define como designação genérica dos estados de brusca exaltação, em geral colérica, com violentas exteriorizações verbais”.

Donald Trump e Kim Jong-un protagonizaram algumas, como sintetizou Jorge Almeida Fernandes no artigo “Fazer guerra ou aprender a coexistir com 'Kim nuclear'?”: “Estalou uma ‘guerra de palavras’ num tom que até agora parecia exclusivo de Kim Jong-un. Este ameaça os EUA, Donald Trump contra-ameaça com uma resposta de ‘fogo e fúria’, Kim sobe a parada declarando que pode atacar Guam.”

Outro registo para “fúria”: “Procedimento precipitado, sem ponderar as consequências.” Não será prática exclusiva de loucos, mas assusta mais quando essa “cólera”, “ira”, “sanha” e “raiva” provém dos que detêm poder sobre o mundo.

“Furioso” ficou também, noutra escala e consequências, Isaltino Morais, por o tribunal não viabilizar a sua candidatura às autárquicas como independente à Câmara de Oeiras. E também os sempre insatisfeitos e quase sempre privilegiados médicos, que se dizem cansados e mal pagos desde que os conhecemos.

Também se denomina “fúria” a uma “mulher desgrenhada” e a certa “divindade infernal pagã”. Mas as fúrias mais preocupantes são as que o dicionário assim define: “Força extraordinária, ímpeto.” E exemplifica com “a fúria do mar” e “o vento soprou com fúria”. Este último, um fenómeno bem presente em dias de muitos e tristes incêndios.

A rubrica Palavras, expressões e algumas irritações encontra-se publicada no P2, caderno de domingo do PÚBLICO