Governo da Madeira quer turismo científico nas ilhas Selvagens

Regulamentação de turismo científico na reserva natural só deverá acontecer no próximo ano.

Foto
O ministro da Defesa, Azeredo Lopes, e a sua comitiva na visita às ilhas Selvagens HOMEM DE GOUVEIA/Lusa

O Governo Regional da Madeira pretende estimular a actividade económica nas Ilhas Selvagens com a promoção, a partir de 2018, do turismo científico e de natureza, disse esta terça-feira a secretária Regional do Ambiente e Recursos Naturais.

“As Selvagens são grandes mais-valias que devem ser conhecidas, preservadas e divulgadas e daí criámos uma actividade que vai permitir que as pessoas possam visitar as ilhas”, disse Susana Prada, que acompanhou esta terça-feira o ministro da Defesa, Azeredo Lopes, numa visita ao subarquipélago, localizado a 300 quilómetros a sul do Funchal.

A governante explicou que essa actividade – o turismo científico e de natureza – já está definida, mas ainda não regulamentada, o que só deverá acontecer no próximo ano.

O objectivo é contribuir para que as Selvagens – que são reserva natural desde 1971 – sejam consideradas ilhas e não rochedos, situação que passa pela presença humana permanente (dois vigilantes da natureza e três elementos da Autoridade Marítima), mas também pela promoção de actividades económicas no local.

“Imaginamos que as empresas marítimo-turísticas da Madeira possam trazer até aqui os turistas, a quem será cobrada uma taxa para entrar nas ilhas, depois de solicitada autorização ao Instituto das Florestas e Conservação da Natureza”, disse Susana Prada, vincando que os visitantes seguirão um roteiro pré-definido e terão a possibilidade de pernoitar no local.